O Que A Biblia Fala Sobre Homossexualidade

Recentemente, alguns artistas do chamado mundo gospel foram confrontados com uma série de críticas por conta de posicionamentos contrários à prática da homossexualidade. O tema é recorrente nos meios de comunicação e redes sociais. Inclusive, algumas reportagens procuraram ouvir teólogos que possuem uma visão específica sobre a interpretação bíblica do tema. A Agência Adventista Sul-Americana de Notícias também conversou com um teólogo acerca do assunto. Ele é Roy Gane, natural da Austrália, professor de Bíblia Hebraica e Línguas do Oriente Médio Antigo do Seminário Teológico Adventista na Universidade Andrews , nos Estados Unidos.

A especialidade do doutor Gane é lei bíblica, incluindo instruções para o sistema ritual israelita no santuário. Ele foi, também, um dos editores de Homosexuality, Marriage, and the Church: Biblical, Counseling, and Religious Liberty Issues , editado por ele, Nicholas P. Miller e H. Peter Swanson. Neste material, publicado em 2012, ele escreveu um ensaio intitulado Algumas alternativas tentadas à condenação bíblica atemporal de atos homossexuais.

  • Os adventistas e a homossexualidade

A importância da interpretação correta do texto bíblico em seu contexto

A orientação que encontramos na Bíblia é valiosa, pois nos transmite as instruções de Deus, nosso amoroso e sábio Criador e Redentor. Ele conhece o que é melhor para nós (Deuteronômio 10:13) e somos responsáveis por seguir suas diretrizes (Eclesiastes 12:13-14).

A sabedoria humana e o conceito de “politicamente correto” podem ser considerados válidos quando estão alinhados aos princípios divinos revelados na Bíblia. No entanto, não devemos confiar cegamente neles como guias absolutos para a verdade e a moralidade, pois são provenientes de seres humanos imperfeitos. A própria Bíblia foi escrita por pessoas sujeitas às falhas humanas e deve ser interpretada dentro do seu contexto específico, já que os significados das palavras são determinados pelos contextos em que foram utilizadas.

No entanto, a escrita bíblica se diferencia de um livro comum, pois Deus utilizou seres humanos como instrumentos especiais para transmitir Sua sabedoria e ensinamentos sobre a salvação. Esses escritores foram guiados pelo próprio Deus ao escreverem as palavras sagradas (2 Timóteo 3:15-17; 2 Pedro 1:20-21).

O Enfoque Bíblico Sobre a Homossexualidade

Sabemos que o conceito bíblico de homossexualidade é apresentado em vários textos, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Você pode resumir qual é a ideia principal?

You might be interested:  A Comunidade dos Estados Independentes: Explorando as Alianças e Desafios Regionais

De acordo com a crença religiosa, Deus criou seres humanos complementares, um masculino e outro feminino, para desfrutarem de intimidade sexual dentro do casamento. Essa união poderia resultar em descendência e perpetuar o processo de criação divina (Gênesis 1:26-28; 2:18, 20-24). No entanto, após a queda no pecado, houve desvios desse ideal original de criação, incluindo a homossexualidade. É importante ressaltar que a Bíblia não condena uma pessoa por ser homossexual simplesmente pelo fato dela sentir-se atraída por pessoas do mesmo sexo.

É inapropriado ter intenções sexuais lascivas em relação a alguém que não é seu cônjuge, como mencionado em Mateus 5:28. A Bíblia não reconhece o casamento entre pessoas do mesmo sexo e considera a atividade homossexual contrária à vontade de Deus e à natureza humana. Portanto, qualquer desejo sexual ou expressão física de afeto por alguém do mesmo sexo é considerado errado, conforme descrito em Romanos 1:26-27.

A Bíblia ensina de forma consistente que a prática da homossexualidade é considerada errada. Existem passagens como Levítico 18:22; 20:13; 1 Coríntios 6:9-10; 1 Timóteo 1:9-10 e Judas 7, que se referem ao episódio de Gênesis 19:4-5. No entanto, a solução redentora para uma pessoa envolvida em atividades homossexuais não está no casamento homoafetivo monogâmico, pois esse tipo de união não é reconhecido pela Bíblia. A transformação moral ocorre através do Evangelho de Jesus Cristo e do poder transformador do Espírito Santo (1 Coríntios 6:11). É importante ressaltar que essa transformação pode levar tanto à abstinência sexual quanto ao casamento heterossexual. Essa mensagem bíblica enfatiza a necessidade da conversão e pureza sexual por meio da fé em Jesus Cristo (Tito 3:3-7) e confirma o poder salvador disponível para todos os indivíduos (Judas 24).

Levítico 18 e 20

Os capítulos 18 e 20 do livro de Levítico têm sido objeto de interpretações divergentes no que diz respeito a questões sexuais, especialmente em relação à prática homossexual. Essas interpretações variam dependendo das diferentes linhas teológicas e do contexto cultural atual. No entanto, é importante analisar o que exatamente esses textos abordam sobre sexo e práticas homossexuais.

O versículo Levítico 18:22 proíbe a relação sexual entre homens, comparando-a com a forma como um homem se relaciona sexualmente com uma mulher. Este mesmo tipo de proibição é mencionado em outros trechos da Bíblia, como Números 31:17-18 e Juízes 21:11-12.

A prática da atividade homossexual masculina é explicitamente proibida, o que também implica na proibição da atividade homossexual feminina (lésbica). Essa restrição pode ser comparada ao sétimo mandamento dos dez mandamentos, que se aplica tanto a homens quanto a mulheres. No livro de Levítico 18:22, é estabelecido que qualquer forma de envolvimento sexual é proibida, não apenas a penetração em si, para a qual existe outra expressão em hebraico (Levítico 18:20, 23; 20:15; Números 5:20).

You might be interested:  Sintomas de Diarreia e Vômito

A terminologia utilizada em Levítico 18:22 é clara e direta, não deixando margem para interpretações técnicas. Essa lei não se restringe apenas à cultura israelita antiga, mas possui um caráter moral transcultural. Ela está inserida no contexto de Levítico 18, onde outros mandamentos divinos também condenam atividades sexuais proibidas, como incesto, relações durante a menstruação da mulher, adultério e bestialidade (versículos 6-20, 22-23), além do sacrifício de crianças ao deus Moloque (versículo 21). Tanto em Levítico 18:22 quanto em 20:13, a prática homossexual é descrita como uma “abominação”, ou seja, algo extremamente ofensivo a Deus.

Levítico 20:13 estabelece uma penalidade de pena de morte para a prática homossexual na teocracia israelita. No entanto, essa punição não deve ser aplicada pela igreja cristã, que impõe medidas disciplinares aos transgressores das leis morais do Antigo Testamento (1 Coríntios 5). De acordo com Levítico 18:29, qualquer pessoa que se envolva em práticas abomináveis mencionadas neste capítulo está sujeita à consequência divina de ser excluída do seu povo e negada uma vida após a morte (Levítico 20:2-3 também faz referência a essa exclusão).

Proibição bíblica de relações homossexuais masculinas

No texto bíblico citado, é mencionada uma condenação à prática da homossexualidade e ao incesto. A passagem afirma que aqueles que se envolvem em relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo ou com parentes próximos cometem abominações e devem ser punidos com a morte.

É importante ressaltar que a compreensão desses textos deve levar em consideração o contexto cultural, histórico e linguístico no qual foram escritos. Além disso, muitas outras passagens bíblicas enfatizam o amor ao próximo, a inclusão e o respeito mútuo, independentemente da orientação sexual.

Em suma, embora haja menção à condenação da homossexualidade na Bíblia, sua interpretação pode variar dependendo do ponto de vista teológico adotado. É fundamental promover um diálogo respeitoso sobre esse assunto complexo para buscar entendimento mútuo e inclusão de todas as pessoas.

Casamento entre pessoas do mesmo sexo na Bíblia

1. Levítico 18:22 – “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação.”

You might be interested:  Dicas Para Combater a Celulite

2. Levítico 20:13 – “Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles.”

3. Romanos 1:26-27 – “Por causa disso Deus os entregou a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também abandonaram o contato natural da mulher e se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza entre si…”

4. 1 Coríntios 6:9-10 – “Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis! Nem impuros… nem efeminados… herdarão o reino de Deus.”

5. Gênesis 19:4-7 – A história dos habitantes de Sodoma que desejavam ter relações sexuais com os anjos enviados por Deus.

6. Judas 1:7 – “…assim como Sodoma e Gomorra e as cidades circunvizinhas… tendo-se prostituído com seres humanos…”

8. Mateus 19:4-6 – Jesus cita Gênesis para falar sobre o casamento entre homem e mulher.

10. Deuteronômio 23:17-18 – “Nenhum dos filhos de Israel será prostituto cultual nem prostituta sagrada; não trarás a paga da prostituição nem preço de um sodomita à casa do Senhor teu Deus por qualquer voto; porque ambos são igualmente abomináveis ao Senhor teu Deus.”

Esses versículos mostram que a Bíblia considera a prática homossexual como pecado e contrária aos princípios estabelecidos por Deus para relacionamentos íntimos. No entanto, é importante lembrar que cada pessoa tem sua própria interpretação das escrituras e há diferentes perspectivas dentro do cristianismo em relação à homossexualidade.

Quem não entrará no reino celestial?

A Bíblia fala sobre a homossexualidade em diferentes passagens, e é importante entender o que ela diz sobre esse assunto. Um trecho relevante está em 1 Coríntios 6:9-10:

“Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os fornicadores, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,

nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem as pessoas maldizentes ou caluniadoras,

nem aqueles que praticam roubo herdarão o reino de Deus.”

Essa passagem lista uma série de comportamentos considerados pecaminosos aos olhos da Bíblia. É importante ressaltar que essa lista não se limita apenas à homossexualidade e inclui outros comportamentos como fornicação (sexo fora do casamento), idolatria (adoração a ídolos), adultério (traição conjugal) e outros.