Para Que Serve O Xarope Acebrofilina

A Acebrofilina é um medicamento em forma de xarope que possui diversas indicações terapêuticas. Sua ação expectorante e broncodilatadora o torna eficaz no tratamento de doenças respiratórias, como bronquite crônica, asma brônquica e enfisema pulmonar. Além disso, também pode ser utilizado para aliviar os sintomas da tosse produtiva causada por infecções das vias respiratórias superiores. Seu uso adequado sob prescrição médica pode proporcionar alívio dos sintomas e melhor qualidade de vida aos pacientes com essas condições respiratórias.

Uso terapêutico da Acebrofilina no tratamento de doenças respiratórias com hipersecreção e broncoespasmo

A bronquite obstrutiva, também conhecida como asma brônquica, traqueobronquite e broncopneumonias, é uma condição respiratória que pode causar dificuldade para respirar. Outras doenças relacionadas incluem bronquiectasias, pneumoconioses, rinofaringites, laringotraqueítes e enfisema pulmonar. Essas condições afetam os pulmões e podem ser crônicas ou agudas. É importante buscar tratamento médico adequado para controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Acebrofilina: Conheça mais sobre este xarope

A Acebrofilina não deve ser utilizada por pessoas que apresentam alergia comprovada ao seu componente ativo ou a outras substâncias semelhantes, como aminofilina e teofilina, bem como ao ambroxol.

A utilização da acebrofilina não é recomendada em pacientes que possuam doenças graves no fígado, rins ou coração, assim como úlcera péptica ativa e histórico de convulsões.

O uso deste remédio não é recomendado para crianças com menos de 2 anos de idade.

Uso da Acebrofilina: Indicações e Benefícios

Na tabela abaixo, são apresentadas as informações sobre a dosagem e horário de administração do Xarope Adulto, de acordo com a faixa etária.

– Idade: Adultos

– Posologia: Recomenda-se tomar 1 copo dosador (10 mL) do Xarope Adulto.

– Horário: A cada 12 horas.

Crianças

Na tabela abaixo, são apresentadas as diferentes dosagens e horários de administração para crianças de acordo com sua faixa etária. É importante ressaltar que essas informações se referem ao uso do Xarope Pediátrico.

– Crianças de 6 a 12 anos: A posologia recomendada é de 1 copo dosador (10 mL) a cada 12 horas.

– Crianças de 3 a 6 anos: Recomenda-se o uso de meio copo-dosador (5 ml) do Xarope Pediátrico, também administrado a cada 12 horas.

– Crianças de 2 a 3 anos: Nessa faixa etária, é indicada uma dose diária equivalente a 2mg/kg de peso corporal. Essa quantidade deve ser dividida em duas administrações, realizadas igualmente espaçadas em um intervalo de aproximadamente 12 horas.

Essas orientações visam garantir uma correta utilização do medicamento levando em consideração as características específicas das crianças conforme suas idades. Sempre consulte um profissional da saúde antes da administração deste ou qualquer outro medicamento.

Não existe uma dose específica nem um período de tratamento definido para cada doença. A duração do tratamento é determinada pelo médico, levando em consideração a gravidade da condição.

Reações adversas e efeitos colaterais da Acebrofilina: quais são?

Após o uso oral, algumas pessoas podem experimentar alergias na região do nariz, lábios superiores e bochechas, caracterizadas por coceira vermelhidão e erupções de bolhas. Além disso, também foram relatados casos de dermatite de contato, assaduras, urticária, erupções cutâneas e coceira.

O prurido pode ser observado em até 4% dos indivíduos que utilizam a dose diária de 75mg de acebrofilina.

Reações gastrointestinais: qual a sua função?

Durante pesquisas clínicas, foi constatado que o uso de acebrofilina pode causar efeitos colaterais como constipação, diarreia, aumento da salivação, boca seca, náusea e vômito em certos casos.

Reações neurológicas

  • Fadiga é a principal reação adversa relacionada ao uso da acebrofilina.

Reações nos Rins

De acordo com pesquisas, indivíduos que utilizam acebrofilina podem apresentar sintomas de disúria.

Reações Respiratórias

A utilização da acebrofilina pode causar a ocorrência de rinorréia como um efeito colateral indesejado.

Utilidade do Xarope Acebrofilina

Em 2,1% dos casos, houve ocorrência de vômitos, enquanto náuseas e boca seca foram relatadas em 1,4%.

Uso incomum da Acebrofilina: conheça sua função

A ocorrência de taquicardia foi observada em 0,9% dos casos, enquanto tremores foram relatados em 0,9%. A agitação foi registrada em 0,5% das situações e sonolência em apenas 0,3%. Em relação a problemas gastrointestinais, diarréia ocorreu em 0,5%, dor abdominal e epigástrica (dor na boca do estômago) afetaram 0,4% dos pacientes e falta de apetite foi notada em apenas 0,11%.

Uso e benefícios do Xarope Acebrofilina

A desidratação ocorre em 0,02% dos casos, a insônia em 0,05% e a vertigem em 0,07%.

Em algumas situações, é possível que ocorram ocorrências pouco comuns de desconfortos digestivos que podem ser aliviados ao interromper ou diminuir a dosagem do medicamento.

Superdosagem: consequências de tomar uma quantidade maior do que a indicada de Acebrofilina

Não há registros de casos de superdosagem com Acebrofilina, mas se isso ocorrer, é importante buscar atendimento médico imediatamente e seguir os procedimentos de urgência recomendados para intoxicação por xantinas (como a teofilina).

Caso o paciente esteja consciente e tenha se passado pouco tempo desde a ingestão, pode ser útil induzir o vômito. Se houver convulsões, é importante manter as vias respiratórias desobstruídas, administrar oxigênio e diazepínicos por via intravenosa. Além disso, é necessário garantir uma hidratação adequada e monitorizar os sinais vitais do paciente.

Se você estiver enfrentando uma situação de intoxicação, é importante buscar ajuda imediatamente. Para obter orientações sobre como proceder nesses casos, entre em contato com o número 0800 722 6001.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de combinar Acebrofilina com outros remédios?

A combinação de Acebrofilina com carbamazepina, fenobarbital, fenitoína e os sais de lítio pode diminuir a eficácia da teofilina ao aumentar o seu metabolismo pelo fígado.

A administração simultânea de Acebrofilina com certos antibióticos macrolídeos, como a eritromicina, e algumas quinolonas, como norfloxacino e ciprofloxacino, além de anti-histamínicos H2 (cimetidina, ranitidina, famotidina), alopurinol , diltiazem e ipriflavona pode resultar em uma eliminação mais lenta da teofilina no organismo. Isso aumenta o risco de intoxicação pela substância.

A intoxicação pode ocorrer em pacientes com níveis sanguíneos elevados, a menos que a quantidade de medicamento seja diminuída.

A administração simultânea de Acebrofilina com salbutamol ou terbutalina pode levar à ocorrência de hipocalemia. Além disso, altas doses de teofilina podem causar aumento na frequência cardíaca.

Quando a Acebrofilina é administrada ao mesmo tempo que o salbutamol ou isoprenalina (isoproterenol), pode ocorrer uma redução considerável nos níveis de teofilina no sangue em alguns pacientes.

A administração simultânea de Acebrofilina e contraceptivos orais pode resultar em um leve aumento nos níveis sanguíneos de teofilina. No entanto, não há relatos de toxicidade associada a essa combinação.

You might be interested:  Entendendo o Conceito de Contrato de Gaveta

A administração conjunta de Acebrofilina e medicamentos alfa-adrenérgicos, como a efedrina, pode levar a um aumento das reações adversas, principalmente relacionadas com o sistema nervoso central e gastrintestinais.

O uso combinado de Acebrofilina e produtos contendo Hypericum perforatum pode diminuir a eficácia da teofilina.

Embora não seja totalmente desaconselhado, é recomendável ter cautela ao utilizar betabloqueadores seletivos em conjunto com outros medicamentos.

É seguro usar acebrofilina para tratar tosse com catarro?

A acebrofilina é um tipo de xarope que serve para tratar a tosse com catarro ou muco. É indicado principalmente quando a pessoa está com uma tosse carregada, pois o medicamento age diretamente no catarro e ajuda a eliminá-lo mais facilmente. Além disso, também pode ser utilizado em casos de tosse seca associada a broncoespasmos, que é quando os brônquios ficam mais estreitos dificultando a passagem do ar.

Quando estamos gripados ou resfriados, muitas vezes temos aquela tosse chata acompanhada de catarro. Nesses casos, o xarope acebrofilina pode ser muito útil. Ele age especificamente no catarro e outros tipos de muco presentes nas vias respiratórias, ajudando na sua eliminação e aliviando os sintomas da tosse carregada.

Além disso, em alguns casos específicos onde há uma redução do diâmetro dos brônquios (broncoespasmo), como na asma por exemplo, também pode haver uma associação com a tosse seca. Nesses casos, o uso da acebrofilina também é recomendado para auxiliar no tratamento da tosse seca causada pelos broncoespasmos.

Cuidados ao utilizar o Xarope Acebrofilina

Recomenda-se evitar o uso da Acebrofilina durante os primeiros três meses de gravidez. É necessário ter cuidado ao administrar esse medicamento em pacientes com pressão alta, problemas cardíacos ou hipoxemia grave.

O uso deste remédio não é recomendado para mulheres grávidas, a menos que seja orientado por um médico ou dentista.

Caso você desconfie de uma possível gravidez, é importante informar o seu médico imediatamente.

Tempo necessário para o xarope de acebrofilina fazer efeito

Após um período de 24 a 48 horas, é comum que a febre e o mal-estar apresentem melhoras significativas. No entanto, é importante estar ciente de que os sintomas respiratórios tendem a piorar entre o terceiro e sexto dia da doença.

Durante esse estágio, é fundamental adotar algumas medidas para aliviar os sintomas respiratórios. Uma dica prática é fazer uso de inalações com água quente ou soro fisiológico para ajudar na desobstrução das vias respiratórias. Além disso, manter-se hidratado(a) através do consumo adequado de líquidos pode auxiliar no controle dos sintomas.

Outra recomendação importante nesse momento é evitar exposição a ambientes poluídos ou com ar condicionado muito frio, pois isso pode irritar ainda mais as vias respiratórias já inflamadas. Opte por locais arejados e mantenha uma boa higiene pessoal para prevenir infecções secundárias.

É válido ressaltar que cada caso pode ser diferente e nem sempre essas medidas serão suficientes para controlar completamente os sintomas respiratórios. Portanto, se você perceber qualquer piora significativa ou persistência dos sinais clínicos por mais tempo do que o esperado, não hesite em buscar orientação médica especializada.

Em suma, durante o período mencionado após as primeiras 24-48 horas da doença viral em questão, espera-se uma melhora nos quadros febris e no mal-estar geral. Por outro lado, deve-se ficar atento ao possível aumento dos problemas relacionados à saúde das vias respiratórias entre o terceiro e sexto dia. Para amenizar esses sintomas, é recomendado fazer inalações com água quente ou soro fisiológico, manter-se hidratado(a), evitar ambientes poluídos ou muito frios e adotar uma boa higiene pessoal. Caso os sintomas persistam ou se agravem, é fundamental buscar auxílio médico especializado para um diagnóstico adequado e tratamento eficaz.

Ação da Acebrofilina: Para que serve?

A eficácia da acebrofilina como uma droga broncodilatadora e mucorreguladora foi comprovada em estudos clínicos envolvendo mais de 5000 pacientes em vários países europeus e latino-americanos. Esses estudos mostraram que a acebrofilina é efetiva no tratamento da bronquite obstrutiva crônica, asma brônquica e bronquite asmatiforme. Além disso, os resultados das experimentações clínicas em fase III demonstraram que a tolerabilidade da acebrofilina foi boa.

Um estudo realizado no Brasil com aproximadamente 4500 crianças que foram tratadas de condições respiratórias graves teve como objetivo aprofundar o conhecimento sobre a tolerabilidade, os efeitos colaterais e a relação entre risco e benefício da acebrofilina.

Foram escolhidos 4500 crianças com idades entre 1 e 12 anos que apresentavam bronquite aguda, incluindo os tipos catarral, espasmódica ou asmatiforme. Essas crianças precisavam de um tratamento adequado para aliviar a obstrução das vias respiratórias e regular a produção excessiva de muco.

O uso da acebrofilina mostrou-se eficiente na redução dos sintomas relacionados ao broncoespasmo, resultando em melhorias significativas tanto na sibilância quanto na dispneia em 91.1% dos indivíduos tratados. Observou-se o desaparecimento da sibilância em 67% dos casos e da dispneia em 75%. Quanto à tosse e expectoração, houve uma diminuição de 11% e 53%, respectivamente. No início do tratamento, cerca de 43% dos pacientes apresentavam um quadro clínico considerado bom. Ao final do período de tratamento, foi constatada uma melhora clínica em aproximadamente 88% dos pacientes restantes.

No corpo, a acebrofilina se divide em teofilina e ambroxol. O ambroxol tem sido sugerido como um possível tratamento para doenças pulmonares. Estudos têm analisado os efeitos do tratamento com ambroxol na produção de IL-12 e IL-10 por macrófagos alveolares obtidos através da lavagem dos alvéolos pulmonares. A IL desempenha um papel crucial na defesa do organismo contra infecções e no desenvolvimento das células TH-1. De acordo com essa pesquisa, o tratamento com ambroxol é capaz de aumentar a secreção de IL-12 induzida por lipopolissacarídeos, indicando que esse tratamento pode promover uma resposta inflamatória e imunológica mais intensa mediada pelas células TH-1.

Foi observado que o uso de ambroxol também foi eficaz no tratamento de pacientes com bronquite crônica. Após três semanas de tratamento, os pacientes experimentaram uma melhora nos sintomas da bronquite, incluindo a redução da inflamação e hiperplasia das células da camada basal, além do rejuvenescimento do epitélio. Portanto, o uso de ambroxol como monoterapia é recomendado para controlar os sintomas dessa condição respiratória.

A eficácia e confiabilidade do uso oral de teofilinato de ambroxol na dose diária de 200mg foi avaliada em um estudo envolvendo 48 pacientes com hipersecreção brônquica. Os resultados mostraram que o medicamento promoveu a fluidificação do muco, resultando em uma melhora significativa dos sintomas clínicos e benefícios para a função respiratória desses pacientes.

Um estudo multicêntrico aberto foi realizado para avaliar a eficácia e tolerabilidade da acebrofilina na dose de 200 mg/dia no tratamento da bronquite crônica asmatiforme. No total, 92 pacientes participaram do estudo. Os sintomas sugestivos, como tosse, falta de ar e dificuldade em expectorar, apresentaram uma melhora significativa já no primeiro mês de terapia, o que foi confirmado ao final do estudo. Além disso, os parâmetros da função pulmonar também foram favoravelmente influenciados durante o tratamento, com um aumento médio de 20% nos valores medidos. Vale ressaltar que a acebrofilina mostrou-se bem tolerada pelos pacientes neste estudo.

No estudo realizado por Aiharaa M. e colaboradores, foi investigado o efeito da N-Acetilcisteína e do Ambroxol na produção das citocinas IL-12 e IL-10 em macrófagos alveolares humanos. Os resultados mostraram que esses compostos têm a capacidade de modular a produção dessas citocinas, sugerindo seu potencial terapêutico em doenças inflamatórias pulmonares.

No estudo de Cogo R., Raschi S., Quattrone P. e Zini P. intitulado “Avaliação clínica e histológica do tratamento com acefilinato de ambroxol em pacientes com bronquite crônica”, publicado na revista Advances in Therapy, volume 12, número 1, em 1995, foi realizado um exame minucioso dos efeitos do medicamento no tratamento da condição respiratória mencionada.

You might be interested:  Definição do Preconceito Racial

O estudo intitulado “A eficácia da combinação de teofilina e ambroxol na hipersecreção brônquica” foi publicado no periódico Acta Therapeutica em 1985. O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos da administração conjunta desses dois medicamentos no tratamento da produção excessiva de muco nas vias respiratórias. Os resultados obtidos demonstraram que a combinação de teofilina e ambroxol apresentou benefícios significativos na redução da hipersecreção bronquial. Esses achados sugerem que essa terapia combinada pode ser uma opção promissora para o manejo desse sintoma em pacientes com condições como bronquite crônica ou doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Um estudo realizado por Cerveri e colegas em 1992 avaliou a eficácia e tolerabilidade da acebrofilina em pacientes com bronquite crônica asmática. Os resultados foram publicados no Giornale Italiano Malattie Del Torace, na edição suplementar número 1, páginas 107-110.

É seguro combinar acebrofilina com antialérgico?

A Acebrofilina é um medicamento que pode ser utilizado em conjunto com outros medicamentos, mas é importante ter cuidado ao combiná-lo com certos antibióticos, como a eritromicina, e algumas quinolonas, como norfloxacino e ciprofloxacino. Além disso, o uso concomitante de anti-histamínicos H2 (como cimetidina, ranitidina e famotidina), alopurinol, diltiazem e ipriflavona também deve ser evitado. Isso ocorre porque essas combinações podem retardar a eliminação da teofilina do organismo.

Quando a eliminação da teofilina é retardada devido à interação com esses medicamentos mencionados anteriormente, há um aumento no risco de intoxicação pela mesma substância. Portanto, é fundamental evitar ou tomar precauções especiais ao utilizar simultaneamente Acebrofilina juntamente com os medicamentos citados.

Para garantir uma administração segura desses medicamentos em conjunto com Acebrofilina ou qualquer outro tratamento contendo teofilina:

1. Consulte sempre seu médico: Antes de iniciar qualquer novo tratamento ou fazer alterações na medicação atualmente prescrita para você ou para alguém sob seus cuidados médicos diretos.

2. Informe-se sobre possíveis interações: Ao receber uma nova prescrição médica ou comprar um novo produto farmacêutico sem receita médica (medicamento OTC), pergunte ao farmacêutico se existe algum risco conhecido de interação entre esse medicamento específico e a Acebrofilna.

3. Leia atentamente as bulas dos remédios: Sempre que iniciar um novo tratamento, leia as informações fornecidas pelo fabricante do medicamento. Essas informações devem conter avisos sobre possíveis interações com outros medicamentos.

4. Esteja atento aos sintomas de intoxicação: Se você ou alguém sob seus cuidados médicos diretos estiver tomando Acebrofilina em conjunto com os medicamentos mencionados anteriormente e apresentar sinais de intoxicação, como náuseas, vômitos, dor abdominal intensa ou aumento da frequência cardíaca, procure imediatamente assistência médica.

Lembrando sempre que essas dicas são apenas orientações gerais e não substituem a consulta a um profissional de saúde qualificado.

Características Farmacológicas da Acebrofilina

A acebrofilina é um medicamento que contém como princípio ativo a combinação das substâncias ambroxol e ácido 7-teofilinacético. Essa fusão molecular resulta na formação do teofilinato de ambroxol, que possui propriedades mucorreguladoras, mucocinéticas e indutoras do surfactante.

Acredita-se que a ação broncodilatadora ocorra devido ao aumento dos nucleotídeos cíclicos, especialmente o AMP cíclico, na musculatura das vias respiratórias. Isso acontece porque a droga inibe uma enzima chamada fosfodiesterase, resultando em um aumento do nível de AMPc e promovendo o relaxamento da musculatura lisa através da ativação de precursores responsáveis pelo relaxamento muscular. Além disso, outro mecanismo importante pode ser o bloqueio competitivo da droga nos receptores de adenosina, bem como sua influência no fluxo intracelular de cálcio.

A acebrofilina tem a capacidade de promover a abertura dos brônquios, o que resulta em uma redução do esforço muscular necessário para respirar e auxilia no movimento dos cílios nas vias respiratórias. Além disso, ela também estimula a produção de surfactante, substância que diminui a viscosidade do muco presente nos pulmões, evitando sua aglutinação e aderência excessiva.

Ao administrar uma dose oral de Acebrofilina, é possível alcançar concentrações do composto ativo na corrente sanguínea por várias horas. A meia-vida plasmática da substância varia entre 3 e 5 horas.

Estudos de toxicidade aguda com dose única ou doses repetidas, bem como os estudos de toxicidade fetal em animais mostraram que a acebrofilina não provoca alterações mesmo em doses muito acima das doses terapêuticas. Não foi demonstrada ação mutagênica.

Ação da acebrofilina na eliminação do catarro

Este medicamento contém um componente chamado derivado de xantina, que possui ação broncodilatadora. Isso significa que ele ajuda a dilatar os brônquios, facilitando a passagem do ar e melhorando a respiração. Além disso, esse medicamento também atua como mucorregulador, ou seja, controla a quantidade de muco produzido nos pulmões. Isso é importante porque o acúmulo excessivo de muco pode dificultar ainda mais a respiração. Por fim, o medicamento tem propriedades expectorantes, ajudando na eliminação do catarro presente nos brônquios.

Para utilizar esse medicamento da maneira correta e obter os melhores resultados possíveis, é importante seguir algumas dicas práticas. Primeiramente, leia atentamente as instruções presentes na bula antes de iniciar o tratamento. Elas fornecerão informações sobre posologia (dose recomendada), forma de administração e outras orientações importantes.

Além disso, certifique-se de tomar o medicamento regularmente conforme prescrito pelo médico ou farmacêutico responsável. A adesão ao tratamento é fundamental para garantir sua eficácia.

É importante destacar que cada pessoa pode reagir de maneira diferente ao uso desse medicamento. Portanto, se surgirem quaisquer sintomas adversos ou desconforto durante o tratamento com este produto específico à base do derivado da xantina mencionado anteriormente – tais como náuseas persistentes ou aumento significativo dos batimentos cardíacos -, recomenda-se procurar imediatamente um profissional da saúde para avaliação adequada.

Por fim, vale ressaltar que o uso deste medicamento não substitui outras medidas importantes para o controle de doenças respiratórias, como evitar exposição a fatores desencadeantes (como poeira ou alérgenos), praticar atividade física regularmente e seguir uma alimentação saudável.

Lembre-se sempre de consultar um médico antes de iniciar qualquer tratamento com medicamentos. Somente um profissional da saúde poderá avaliar sua condição específica e indicar o melhor tratamento para você.

Uso do Xarope Acebrofilina com alimentos: é seguro?

A alimentação pode interferir na quantidade de Acebrofilina no organismo.

Dietas com alto teor de proteínas reduzem o tempo em que a Acebrofilina permanece ativa no organismo.

A ingestão de uma dieta com alto teor de carboidratos prolonga a eficácia da Acebrofilina.

Embora não seja totalmente desaconselhado, é recomendável ter cautela ao utilizar betabloqueadores seletivos em conjunto.

O uso de produtos contendo Hypericum perforatum pode diminuir a efetividade da teofilina.

Informações para profissionais sobre o medicamento Brondilat podem ser encontradas na bula do produto.

Doenças relacionadas

A tosse é um sintoma comum de várias condições respiratórias, como a asma brônquica, bronquite, enfisema pulmonar e traqueobronquite. Também pode estar associada ao broncoespasmo, broncopneumonia, bronquiectasias e pneumoconiose. Além disso, a tosse também pode ocorrer em casos de rinofaringite e laringotraqueítes.

Essas condições estão relacionadas à hipersecreção das vias respiratórias e podem apresentar características semelhantes às crises asmáticas. Portanto, são consideradas asmatiformes.

Melhor horário para tomar acebrofilina

A Acebrofilina é um medicamento utilizado para tratar doenças respiratórias, como a bronquite crônica e a asma. O xarope de Acebrofilina é indicado tanto para adultos quanto para crianças a partir de 12 anos de idade.

Para o tratamento dessas condições, recomenda-se tomar 1 copo dosador (10 ml) do xarope adulto a cada 12 horas. É importante seguir essa posologia corretamente, respeitando o intervalo entre as doses e não excedendo a quantidade recomendada.

O uso da Acebrofilina ajuda no alívio dos sintomas das doenças respiratórias, como tosse persistente, falta de ar e produção excessiva de muco. Ela atua dilatando os brônquios e facilitando a eliminação do muco acumulado nas vias respiratórias.

You might be interested:  Os Benefícios do Vinagre de Maçã: Descubra suas Utilidades

É fundamental que o paciente siga todas as orientações médicas durante o tratamento com Acebrofilina. Além disso, caso surjam dúvidas ou ocorram reações adversas durante o uso do medicamento, é importante entrar em contato com um profissional da saúde para obter esclarecimentos adequados.

Uso da acebrofilina: quando utilizar?

A acebrofilina é um xarope utilizado para tratar diversas condições respiratórias. Confira abaixo uma lista das principais indicações do medicamento:

1. Obstrução dos brônquios: A acebrofilina ajuda a desobstruir os brônquios, facilitando a passagem de ar e aliviando sintomas como falta de ar e chiado no peito.

2. Controle do muco nas vias respiratórias: O medicamento atua na regulação da produção excessiva de muco, reduzindo o acúmulo nas vias respiratórias.

3. Eliminação do catarro: A acebrofilina auxilia na expectoração do muco presente nas vias respiratórias, promovendo sua eliminação através da tosse.

4. Bronquite aguda e crônica: É comum que pessoas com bronquite apresentem dificuldade em eliminar o catarro acumulado nos pulmões. Nesses casos, a acebrofilina pode ser utilizada para ajudar na expectoração.

5. Asma brônquica: Além de melhorar a função pulmonar, o uso da acebrofilina também pode contribuir para diminuir as crises asmáticas ao facilitar a eliminação do muco das vias respiratórias.

6. Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC): Pacientes com DPOC podem se beneficiar da administração de acebrofilina para controlar os sintomas característicos dessa doença, como tosse persistente e dificuldade em expelir o catarro dos pulmões.

7. Sinusite crônica: A presença constante de secreções nas cavidades nasais pode ser aliviada com o uso da acebrofilina, que ajuda a regular a produção de muco e facilita sua eliminação.

8. Infecções respiratórias: A acebrofilina também pode ser indicada como coadjuvante no tratamento de infecções respiratórias, auxiliando na expectoração do catarro e promovendo uma recuperação mais rápida.

9. Tosse produtiva: Quando a tosse é acompanhada de secreções viscosas e difíceis de eliminar, o xarope de acebrofilina pode ajudar a torná-la mais eficaz na expulsão do muco das vias respiratórias.

10. Prevenção de complicações pós-operatórias: Em alguns casos, especialmente após cirurgias pulmonares ou procedimentos que envolvam as vias respiratórias, a administração da acebrofilina pode ser recomendada para prevenir possíveis complicações relacionadas à formação excessiva de muco.

Duração do uso da acebrofilina

A posologia do xarope Acebrofilina não é determinada de forma específica para cada patologia, assim como também não há um tempo definido de tratamento. A duração do uso desse medicamento deve ser estabelecida pelo médico responsável, levando em consideração a gravidade da doença e as necessidades individuais de cada paciente.

O médico irá avaliar o quadro clínico do paciente, levando em conta fatores como idade, peso corporal e histórico médico. Com base nessas informações, ele poderá prescrever a dose adequada de Acebrofilina e indicar por quanto tempo o tratamento deverá ser realizado.

É importante ressaltar que seguir corretamente as orientações médicas é fundamental para garantir a eficácia do tratamento com xarope Acebrofilina. Não se deve interromper ou modificar a posologia sem antes consultar o profissional de saúde responsável.

P.S.: O uso correto da medicação é essencial para obter os resultados esperados no tratamento. Portanto, siga sempre as recomendações médicas e esclareça todas as suas dúvidas com seu profissional de saúde antes de iniciar qualquer terapia medicamentosa.

Diferença entre ambroxol e acebrofilina

A acebrofilina, também conhecida como teofilinato de ambroxol, é um medicamento que combina os efeitos da teofilina e do ambroxol. A seguir, estão listadas algumas das principais funções desse xarope:

1. Ação broncodilatadora: a teofilina presente na acebrofilina atua relaxando os músculos das vias respiratórias, facilitando a passagem do ar e aliviando sintomas como falta de ar.

3. Profilaxia da asma: o uso regular da acebrofilina pode ajudar na prevenção de crises asmáticas em pacientes com asma crônica, reduzindo a frequência e intensidade dos episódios.

4. Expectorante: o ambroxol presente no xarope age fluidificando as secreções presentes nas vias respiratórias, tornando-as mais fáceis de serem eliminadas através da tosse.

5. Mucolítico: além de fluidificar as secreções brônquicas, o ambroxol também ajuda na quebra das moléculas mucosas presentes nessas secreções, facilitando ainda mais sua eliminação.

6. Tratamento da bronquite crônica: por suas propriedades expectorantes e mucolíticas, a acebrofilina é frequentemente utilizada no tratamento da bronquite crônica para aliviar os sintomas associados à produção excessiva de muco nos brônquios.

7. Redução da viscosidade do muco: o ambroxol presente na formulação ajuda a diminuir a viscosidade das secreções brônquicas, tornando-as menos espessas e mais fáceis de serem eliminadas.

8. Melhora da função pulmonar: ao promover a broncodilatação e facilitar a eliminação das secreções, a acebrofilina contribui para uma melhora geral da função pulmonar em pacientes com doenças respiratórias crônicas.

9. Alívio dos sintomas de gripes e resfriados: o xarope também pode ser utilizado para aliviar os sintomas respiratórios associados às infecções virais, como tosse produtiva e congestão nasal.

10. Auxílio no tratamento de doenças obstrutivas crônicas: além da bronquite crônica, a acebrofilina também pode ser indicada como parte do tratamento de outras condições obstrutivas das vias respiratórias, como enfisema pulmonar e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

É importante ressaltar que o uso desse medicamento deve sempre seguir as orientações médicas específicas para cada caso, levando em consideração fatores individuais como idade, peso corporal e histórico clínico do paciente.

Substitutos da acebrofilina

O Brondyneo é um xarope infantil que contém 5mg/mL de acebrofilina. Cada caixa do medicamento vem com um frasco contendo 120mL de xarope, acompanhado por um copo medidor para facilitar a administração correta da dose.

A acebrofilina é uma substância ativa presente no Brondyneo que possui propriedades mucolíticas e broncodilatadoras. Isso significa que ela ajuda a fluidificar as secreções presentes nas vias respiratórias, facilitando sua eliminação e aliviando os sintomas associados à tosse produtiva.

Esse medicamento é indicado principalmente para o tratamento de doenças respiratórias como bronquite crônica, asma brônquica e outras condições em que há acúmulo de muco nas vias aéreas. O uso regular do Brondyneo pode ajudar a reduzir a frequência e intensidade das crises asmáticas, melhorando assim a qualidade de vida das crianças.

P.S.: É importante ressaltar que o uso do Brondyneo deve ser feito sob prescrição médica, seguindo sempre as orientações quanto à posologia adequada para cada faixa etária. Além disso, caso haja qualquer reação adversa ou dúvida durante o tratamento com esse medicamento, é fundamental buscar orientação profissional para avaliação e ajuste necessário no tratamento.

Qual é o remédio para a tosse?

Para que serve o xarope Acebrofilina:

1. Tratamento da tosse e do desconforto respiratório causados por doenças como bronquite, asma e outras condições pulmonares.

2. Ajuda a aliviar os sintomas de congestão nasal, facilitando a respiração.

3. Reduz a produção excessiva de muco nas vias respiratórias, diminuindo a sensação de obstrução no peito.

4. Auxilia na expectoração do muco acumulado nos pulmões, tornando mais fácil sua eliminação através da tosse.

5. Possui propriedades broncodilatadoras, ajudando a relaxar os músculos das vias respiratórias e melhorando o fluxo de ar para os pulmões.

6. Pode ser utilizado em crianças acima de 2 anos de idade sob orientação médica adequada.

7. É um medicamento seguro quando usado corretamente e seguindo as instruções do profissional da saúde responsável pelo tratamento.

É importante ressaltar que o uso deste medicamento deve ser feito apenas com prescrição médica adequada, pois somente um profissional qualificado poderá avaliar se é indicado para cada caso específico e definir a dosagem correta para cada paciente.

Além disso, é fundamental seguir todas as recomendações médicas durante o tratamento com xarope Acebrofilina e informar ao profissional sobre qualquer reação adversa ou dúvida que possa surgir durante seu uso.