O Que É O Sistema Linfatico

O sistema linfático é um conjunto de órgãos, tecidos, vasos e canais que se distribuem pelo corpo para ajudar a filtrar e remover o excesso de líquidos e impurezas do organismo.

Tópicos deste artigo

A linfa é transportada pelos vasos linfáticos para ajudar a remover toxinas e resíduos do corpo. Ela também ajuda a transportar nutrientes essenciais para as células.

O sistema linfático

Os capilares sanguíneos perdem para os tecidos circundantes uma grande quantidade de líquido bem como uma pequena porção de proteínas. Em condições normais, a saída de líquidos dos capilares é maior do que sua absorção. Desse modo, o líquido e as proteínas que ficam em excesso nos tecidos são retirados e devolvidos ao sangue por meio do sistema linfático, formado por uma rede de canais interligados.

O sistema linfático garante que líquido presente nos espaços teciduais retorne para a circulação sanguínea.

O sistema linfático é constituído por capilares linfáticos, vasos linfáticos, ductos linfáticos (ducto torácico e ducto linfático direito) e linfonodos. Os capilares linfáticos são os menores vasos condutores do sistema linfático. Eles se originam no tecido conjuntivo como microscópicos vasos de fundo cego, que se unem, formando vasos maiores, os vasos linfáticos. Os capilares linfáticos apresentam uma única camada de células endoteliais, enquanto os vasos linfáticos possuem paredes de três camadas que se assemelham às paredes presentes nas veias.

Os vasos linfáticos, assim como as veias, possuem valvas que garantem o fluxo unidirecional da linfa. A movimentação da linfa é impulsionada por forças externas, como a contração dos músculos esqueléticos. Entre cada valva dos vasos linfáticos, há uma dilatação, resultando em um aspecto semelhante a um colar de contas devido à presença de várias valvas nessas estruturas.

Os vasos linfáticos se unem e terminam em dois grandes ductos: o ducto torácico e o ducto linfático direito. O ducto torácico é o maior vaso linfático do corpo humano e serve como tronco principal para a maioria dos outros vasos linfáticos. Já o ducto linfático direito, de menor tamanho, tem a função de transportar a linfa proveniente das áreas que não foram drenadas pelos vasos que desembocam no ducto torácico.

O ducto torácico e o ducto linfático direito se conectam às veias jugular interna esquerda e subclávia esquerda, respectivamente. O mesmo acontece com a junção da veia subclávia direita e a veia jugular interna direita.

Observe os principais componentes do sistema linfático.

You might be interested:  Diu: Descubra o que é e como funciona esse método contraceptivo!

Durante o percurso dos vasos linfáticos, encontramos os linfonodos, que são pequenas estruturas ovais compostas por tecido linfático e envolvidas por cápsulas de tecido conjuntivo. Essas cápsulas se projetam para dentro dos linfonodos, formando trabéculas que dividem o interior em compartimentos.

O tecido interno do linfonodo é composto por duas regiões principais: a cortical, localizada logo abaixo da cápsula, e a medular, que fica no centro do órgão. A área onde os vasos sanguíneos entram e saem do linfonodo é chamada de hilo.

A circulação da linfa dentro do linfonodo ocorre em uma única direção. A entrada da linfa no órgão se dá através de vasos linfáticos aferentes, que desembocam na borda convexa do linfonodo. Já a saída da linfa acontece pelos vasos linfáticos eferentes, que saem pelo hilo.

No interior dos linfonodos , encontra-se uma grande quantidade de células responsáveis pela nossa defesa, tais como macrófagos e linfócitos. Quando a linfa passa no interior dos linfonodos, micro-organismos e partículas estranhas são atacados pelo sistema imune. No momento em que nosso corpo está lutando contra uma infecção , é comum que os linfonodos tornem-se inchados e sensíveis.

Órgãos relacionados ao sistema linfático

O baço, as tonsilas e o timo são três órgãos intimamente relacionados com o sistema linfático. Neles se observa-se a presença de grande quantidade de tecido linfoide, que, dentre outras características, destaca-se pela presença de linfócitos. O baço está relacionado com funções como destruição de hemácias velhas e participação na resposta imune. As tonsilas, por sua vez, atuam na proteção da entrada do sistema digestório e respiratório contra micro-organismos. Por fim, o timo é o órgão em que os linfócitos T completam sua maturação.

O que é o sistema linfático e qual sua função?

A composição da linfa é semelhante à do plasma sanguíneo, contendo água, proteínas solúveis como albumina e globulinas, além de eletrólitos como íons de sódio e potássio. No entanto, diferentemente do plasma que circula nos vasos sanguíneos principais (artérias e veias), a linfa não possui células vermelhas ou plaquetas.

– Retorno do fluido intersticial para o sangue

– Defesa imunológica

– Absorção de lipídios

Composição da Linfa:

– Água

– Proteínas solúveis (albumina e globulinas)

– Eletrólitos (sódio e potássio)

Linfa

Linfa é o nome dado ao líquido perdido pelos capilares para os tecidos circundantes após entrar no sistema linfático. Caracteriza-se por ser um fluido com composição muito semelhante à do plasma sanguíneo , entretanto, diferencia-se desse último por possuir baixa concentração de proteínas. Na linfa é observada grande presença de leucócitos , que são as células que atuam na defesa do nosso corpo. Dentre os leucócitos, destaca-se a presença de linfócitos.

Qual é a função do sistema linfático?

Outra função importante da linfa é participar na defesa do nosso organismo contra agentes patogênicos, como bactérias e vírus. Ela contém glóbulos brancos especializados em combater infecções, conhecidos como células imunes ou leucócitos. Essas células percorrem todo o corpo através dos vasos linfáticos em busca de micro-organismos invasores ou células anormais para eliminá-los.

You might be interested:  Remédios para interromper a menstruação

1) Pratique exercícios físicos regularmente: atividades físicas estimulam a circulação sanguínea e ajudam na movimentação da linfa pelos vasos.

3) Evite roupas apertadas: peças de vestuário muito justas podem dificultar a circulação da linfa, causando inchaço e desconforto.

4) Faça massagens ou drenagem linfática: essas técnicas estimulam o fluxo da linfa pelos vasos e ajudam na eliminação de toxinas.

Funções do sistema linfático

O sistema linfático apresenta funções primordiais para o funcionamento do corpo, podendo destacar-se:

Além disso, ele também absorve os lipídios do intestino através da linfa intestinal. Isso é fundamental para a digestão e assimilação adequada dessas gorduras pelo corpo.

Quais são as doenças que afetam o sistema linfático?

1. Linfadenopatia: caracterizada pelo aumento dos gânglios linfáticos, geralmente causado por infecções ou inflamações.

2. Linfedema: ocorre quando há um bloqueio no fluxo do líquido linfático, resultando em inchaço e acúmulo de fluido nos tecidos.

O que é o Edema

Em algumas situações, a quantidade de líquido nos tecidos ultrapassa a capacidade do sistema linfático de garantir o retorno dele à circulação. Esse acúmulo provoca o que chamamos de edema. Esses edemas podem ter diferentes causas, como um excesso de filtração nos capilares ou alguma obstrução dos vasos linfáticos.

A obstrução dos vasos linfáticos pode ser observada, por exemplo, no caso da elefantíase, também chamada de filariose linfática. Essa doença é transmitida pela picada de um mosquito contaminado pelo nematoide chamado Wuchereria bancrofti. Esse verme aloja-se no sistema linfático e atrapalha a circulação adequada da linfa, provocando, desse modo, edema, que pode atingir membros, seios e bolsa escrotal. Nessa situação observamos grande deformidade na região atingida. Caso queira saber mais sobre esse tipo de acúmulo no organismo, leia: O que é edema?

O que acontece quando o sistema linfático não está funcionando?

Quando ocorre uma lesão ou obstrução nos vasos linfáticos, o líquido linfático não consegue ser drenado adequadamente e acaba se acumulando nos tecidos. Esse acúmulo de líquido causa inchaço, conhecido como edema linfático.

O edema linfático pode afetar diferentes partes do corpo, dependendo da localização da lesão ou obstrução dos vasos linfáticos. Por exemplo, se os vasos linfáticos das pernas forem comprometidos, é comum que haja inchaço nas pernas e pés.

Para reduzir o inchaço causado pelo edema linfático, podem ser utilizadas algumas medidas terapêuticas. Uma delas é a aplicação de bandagens compressoras no membro afetado. Essas bandagens exercem pressão sobre os tecidos e ajudam a direcionar o fluxo do líquido acumulado para fora da área inchada.

Outra opção terapêutica é o uso de meias de compressão pneumática. Essas meias possuem câmaras infláveis que são preenchidas com ar em intervalos regulares. A compressão gerada pela expansão dessas câmaras ajuda a estimular o fluxo do líquido linfático e reduzir o inchaço.

You might be interested:  Qual é o lado do coração?

É importante ressaltar que esses tratamentos devem ser realizados sob orientação médica especializada. Além disso, outras abordagens terapêuticas também podem ser indicadas para tratar as causas subjacentes do edema linfático e melhorar sua drenagem adequada pelos vasos linfáticos.

Quais são os órgãos que fazem parte do sistema linfático?

A partir daí, a linfa passa pelos vasos e chega aos ductos principais: o ducto torácico, localizado no tórax, e o ducto linfático direito, localizado na região do pescoço. Esses ductos transportam a maior parte da linfa coletada de volta para a corrente sanguínea.

Ao longo desses caminhos existem pequenos órgãos chamados de “linfonodos”, que funcionam como filtros para remover bactérias, vírus ou outras substâncias indesejadas presentes na linha antes dela retornar ao sangue.

Onde fica o sistema linfático no corpo humano?

P.S.: É importante ressaltar que qualquer alteração nos linfonodos deve ser avaliada por um profissional da saúde para descartar possíveis doenças mais graves.

Transportador da linfa

1. Vasos Linfáticos: São semelhantes aos vasos sanguíneos, mas transportam a linfa ao invés de sangue. Eles estão presentes em todo o corpo e atuam na coleta e transporte da linfa dos tecidos para os gânglios linfáticos.

2. Gânglios Linfáticos: São pequenas estruturas ovais encontradas ao longo dos vasos linfáticos. Eles filtram a linfa, removendo bactérias, vírus, células mortas ou anormais antes que ela retorne à corrente sanguínea.

3. Baço: É um órgão localizado no lado esquerdo do abdômen. Além de filtrar o sangue como um gânglio linfoide gigante, ele também produz células imunes chamadas de anticorpos.

4. Amígdalas: São dois grupos de tecido linfoide localizados na parte posterior da garganta (tonsilas palatinas) e nas laterais da base da língua (tonsilas linguais). Elas ajudam na proteção contra infecções respiratórias superiores.

7. Tecidos Linfoides Associados às Mucosas (MALT): São agrupamentos de tecido linfoide encontrados nas membranas mucosas do corpo, como os pulmões, intestinos e trato urinário. Eles ajudam na defesa contra infecções nesses locais específicos.

8. Vasos Linfáticos Superficiais: São vasos linfáticos localizados logo abaixo da pele que drenam a linfa dos tecidos superficiais para os gânglios linfáticos mais profundos.

9. Válvulas Linfáticas: Presentes nos vasos linfáticos, essas válvulas garantem que a linfa flua em uma única direção – dos tecidos para os gânglios linfáticos e eventualmente para o coração.

Diferença principal entre sangue e linfa

A quantidade de linfa nos vasos sanguíneos é maior do que a quantidade de sangue presente neles. Isso ocorre porque parte da água e das substâncias dissolvidas presentes no plasma sanguíneo extravasa para o espaço intersticial entre as células dos tecidos corporais. Essa água e essas substâncias são então coletadas pelos capilares linfáticos e formam a linfa.