Quanto custa uma declaração de união estável?

Quanto custa? O valor da escritura pública de união estável, bem como a de união estável homoafetiva, é de R$ 548,68 (quinhentos e quarenta e oito reais e sessenta e oito centavos).

Como se faz um documento de união estável?

Publicado em 06/07/2022 09h57 Atualizado em 21/07/2023 10h51

O consulado pode emitir essa escritura pública para nacionais brasileiros ou para casal composto por cidadão brasileiro e estrangeiro portador de RNE válido. A escritura pública declaratória de união estável é instrumento útil para comprovar convivência contínua, pública e duradoura, com fins de constituição familiar ( Código Civil Brasileiro, art.1.723 a 1727). A escritura de união estável possibilita ao casal benefícios como a inclusão em planos de saúde e seguros de vida e facilita a comprovação da união em caso de separação ou morte de um dos indivíduos, pensão e divisão de bens, entre outros direitos. A união estável, diferentemente do casamento, não altera o estado civil dos requerentes. Os interessados deverão assinar, juntamente com duas testemunhas, no momento da solicitação da escritura pública, declaração de estado civil, a fim de comprovar que não estão impedidos de constituir a união estável. A união estável não se constituirá se ocorrerem os impedimentos do art.1.521, do Código Civil Brasileiro. Assim como no divórcio, o fim da união estável deve ser registrado por meio de escritura pública de dissolução de união estável, devendo o casal ser assistido por advogado. O Consulado não lavra escrituras de dissolução. Para isso, os interessados deverão constituir procurador e advogado no Brasil.

Para solicitar esse serviço, reúna a documentação necessária:

Documentação Observações
1 Texto da declaração Em caso de dúvida sobre o texto da declaração, aconselha-se obter parecer de advogado ou de tabelião brasileiro especializado.
2 Original e cópia de documento de identidade válido do(s) declarante(s) Cidadão brasileiro: passaporte ou carteira de identidade (RG) e CPF. Cidadão estrangeiro: carteira RNE válida e passaporte que comprove entrada no Brasil nos últimos dois anos.
3 Declaração de Estado Civil Clique aqui para baixar a declaração. O documento deve ser preenchido no computador, sem as assinaturas. Depois, o formulário deverá ser impresso e trazido ao Consulado no dia do atendimento.
4 Pagamento da taxa consular Para saber o valor do serviço e como fazer o pagamento da taxa, clique aqui,

Forma de solicitação

e-consular Esse serviço só pode ser feito presencialmente, no Consulado, com agendamento prévio. A solicitação de atendimento para escritura pública de união estável deve ser feita através do sistema e-consular. Passo-a-passo: 1. Entre no sistema e-consular e: O acesso pode ser feito pelo computador, tablet ou celular.

Qual documento para comprovar união estável?

Normalmente, a comprovação da União Estável para o INSS acontece através de apenas dois documentos, a Certidão de Casamento ou de União Estável, ambas averbadas em cartório. Na falta desses documentos, é possível comprovar o relacionamento de outras formas.

Quem vive em união estável é casado ou solteiro?

Conclusão – Resumindo e respondendo à pergunta inicial, quem vive em união estável não é considerado casado, mas sim, possui uma relação equiparada em alguns aspectos ao casamento perante a lei. O status civil dessas pessoas é de solteiro(a), mas é possível formalizar a relação por meio do casamento civil, caso desejem.

Quanto tempo dura uma declaração de união estável?

O que é união estável? É a relação entre duas pessoas que se caracteriza como uma convivência pública, contínua e duradoura e que tem o objetivo de constituição familiar. A legislação não estabelece prazo mínimo de duração da convivência para que uma relação seja considerada união estável.

Qual a diferença entre união estável e casamento civil?

União estável com registro em cartório e casamento civil, qual é a diferença? – “O casamento é um ato civil e formal, que precisa ser formalizado perante cartório. A união estável não é um ato formal, mas sim uma situação de fato, que pode ou não ser formalizada.

  • “Além disso, talvez a diferença mais notada entre os dois institutos é que o casamento civil altera seu estado civil para ‘casado’, enquanto a união estável não modifica o estado civil de nenhum dos indivíduos daquela união.”
  • Vantagens e desvantagens de uma união estável
  • “Eu diria que a união estável é um primeiro passo, que funciona por um tempo com o casal”, diz Clark, que acredita que a “evolução para o casamento seria um passo eficaz e lógico”.

“A vantagem é como você utiliza a união, eu sou bem prático, e tanto a união quanto o casamento civil, servem para assegurar alguns direitos ao casal”, afirma. “Como temos casos sérios de algumas famílias que não aceitam uma relação fora da heteronormatividade, é um meio de assegurar o mínimo, mesmo sabendo que o drama numa separação ou óbito é bem mais complicado do que para um casal heteronormativo”.

Tem que morar junto para ter união estável?

Por motivos familiares, financeiros ou profissionais, os companheiros podem decidir morar em casas diferentes, mas isso não impede que sejam considerados como família e seja reconhecida a união estável. Concluindo, é perfeitamente possível que um casal viva em união estável e não more junto.

Quem vive em união estável tem direito a herança?

União estável tem direito a herança? – Em resumo, quem mora junto com uma pessoa tem, sim, direito à herança em caso de falecimento do companheiro se for configurada uma união estável, “Se eu moro com uma pessoa e é um relacionamento amoroso, que é considerado público, contínuo e duradouro com objetivo de constituição de família, de fato ou por documento, essa pessoa é minha herdeira”, diz Boueri.

You might be interested:  Quais Os Benefícios Da Graviola

Para que serve a declaração de união estável?

2º Tabelião de Notas de São Paulo Por: O cartório – 3/ 2/ 2017 Viver junto é uma fase do relacionamento almejada por muitos casais, e quando não há oficialização da união com o casamento civil, uma das alternativas para garantir a segurança e a liberdade de escolha na relação é fazer uma escritura de união estável.

A escritura de união estável é o documento emitido pelo Cartório de Notas que certifica e dá fé pública à Declaração de União Estável ora lavrada. Ela atesta a relação de convivência entre duas pessoas, sejam elas de sexos diferentes ou do mesmo sexo, e é configurada na convivência pública, contínua e duradoura.

Confira 5 razões por que você deveria fazer uma escritura de união estável no Tabelionato de Notas para evitar eventuais contratempos futuros e garantir alguns direitos e escolhas do casal: 1. Porque oferece segurança – A escritura serve como prova do início do relacionamento estável e do regime de bens escolhido pelo casal.2.

Porque permite compartilhar benefícios e legitimar direitos – Caso a ideia seja aproveitar um plano de saúde da empresa ou a participação como membro de um clube por exemplo, a escritura poderá ajudar, assim como no caso de recebimento de pensão do INSS caso um dos conjuges faleça ou, ainda, a liberação de DPVAT caso um dos dois sofra um acidente.3.

Porque serve como prova plena – A escritura feita na presença do tabelião de notas serve como prova plena e pode comprovar sem necessidade de qualquer outra prova a união do casal.4. Porque proporciona liberdade de escolha e igualdade – A escritura de união estável pode ser usada por casais formados por membros do mesmo sexo para garantir benefícios e direitos, e também possibilita liberdade de escolha relacionada ao regime de bens.

  • Na escritura, o casal já estabelece se deseja comunhão universal, parcial ou separação de bens.5.
  • Porque oferece direito de herança – A escritura de união estável proporciona a garantia de direitos no caso de morte de um dos companheiros.
  • Neste caso, evitam-se problemas relacionados à herança.
  • Tem dúvidas sobre a escritura de união estável ou deseja fazer uma? Entre em contato conosco.

Teremos prazer em ajudá-lo. Dúvidas, Sugestões sobre a nóticia utilize o formulário. : 2º Tabelião de Notas de São Paulo

Quem pode ser testemunha de união estável após morte?

Você provavelmente já conhece a união estável, definida pelo Código Civil como uma convivência duradoura, pública e contínua, estabelecida com o objetivo de constituir uma família. Para reconhecer essa união, basta que o casal compareça junto a um Cartório de Registro Civil e firme uma escritura pública.

  1. Porém, o que fazer quando um dos companheiros falece antes de ter a união reconhecida? Ainda é possível reconhecer a união? Neste caso, é possível legitimar a união estável post mortem, ou seja, após o falecimento.
  2. Existem duas vias para essa situação: a primeira, é quando os herdeiros do falecido reconhecem o companheiro; já a segunda, acontece quando os herdeiros contestam a união.

No primeiro caso, quando há consenso entre os herdeiros e o companheiro, é possível fazer o reconhecimento da união estável junto ao inventário de bens extrajudicial. Para tanto, todas as partes devem se apresentar a um Cartório de Notas de sua escolha, inclusive, por atendimento notarial on-line.

  1. Dessa forma, o companheiro será adicionado à partilha de bens.
  2. Já no caso de haver contestação por parte dos herdeiros, o companheiro precisará acionar a via judicial, por meio de um advogado ou da Defensoria Pública (caso exista).
  3. Será preciso comprovar a união, apresentando fotos, contas residenciais em nome de ambos, testemunhas, entre outros.

Sendo a deliberação favorável ao companheiro, a sentença deverá ser encaminhada a um Cartório de Registro Civil para oficializar a união estável. Feito isso, há um prazo de um ano para ajustar a partilha de bens efetuadas antes do julgamento. Vale ressaltar que, no post mortem, as mesmas regras para o estabelecimento da união estável se aplicam.

O que descaracteriza a união estável?

Não havendo mais a convivência mútua e contínua, resta descaracterizada a união estável e, com isso também, sua condição de companheira.

Como fazer contrato de união estável pela internet?

Para solicitar, o casal deve entrar em contato com o cartório, informar se já possui ou se precisará providenciar os Certificados Digitais e consultar os documentos necessários para a lavratura eletrônica do documento. O atendente irá instruir o casal e agendar uma data para a videoconferência.

Quem tem união estável pode se casar com outra pessoa?

Contrato de união estável impede casamento? Não impede casamento, mas poderá trazer complicações patrimoniais, por isso, sugiro que faça o distrato extrajudicial ou judicial (se houver oposição), para que haja proteção do futuro patrimônio a ser constituído no casamento.

Quem vive em união estável fica viúva?

Logo, quando se vive em união estável e o (a) companheiro (a) falece, o sobrevivente não passa a ser viúvo, pois não era casado, na prática e formalmente, a pessoa continua como solteiro (a). Isso ocorre porque a união estável não é um estado civil.

Qual a diferença entre morar junto e união estável?

Há vantagens jurídicas na formalidade? – Para começo de conversa, os advogados Tomás Baldo, especialista em Direito de Família, e Bruno Deorce, advogado civilista, concordam que os benefícios da informalidade são inexistentes. Para Tomás, o tópico é muito interessante, principalmente porque na semana passada foi publicado um provimento do Conselho Nacional de Justiça regulamentando o registro da união estável no mesmo cartório em que se registram os casamentos, ou seja, o de Registro Civil. “Primeiro de tudo: formalizar uma união estável por escrito é facultativo, já que é algo que nasce no mundo dos fatos. Se uma pessoa e o namorado passaram a morar juntos e, depois de um tempo, passaram a se comportar como se marido e mulher fossem (ou variações homoafetivas), têm uma vida como se fosse de família e não mais de um casal de namorados, esses sinais já caracterizam a união estável”, iniciou Baldo. Nesse sentido, não é um pedaço de papel que caracteriza a união. Apesar disso, a diferença se encontrará na forma de alcançar consequências jurídicas. Para o especialista, as pessoas têm que ter em mente que sempre que elas desejam estar numa relação, constituir família, se vai ser companheiro ou esposo, as consequências são muito parecidas. >> Grindr, Tinder: caso de médico do ES denuncia riscos de app de namoro. Veja dicas “O companheiro é herdeiro da companheira (ou companheiro) falecida igual ao marido é da esposa. As consequências jurídicas são equiparadas, coisa que antes a lei não fazia, mas o STF proferiu um julgamento a respeito do assunto, para dizer que união estável e casamento são a mesma coisa juridicamente falando. Mas aí teremos algumas dificuldades no dia a dia quando a união estável não é formalizada: não pode, por exemplo, um dos companheiros entrar no plano de saúde do outro, ou, ainda pior, participar do direito à herança em caso de falecimento”, continuou. Para Bruno Deorce, de maneira ampla, a formalização da união marcará o início da relação. “Com isso, também será possível definir o regime de bens, isto é, se será em comunhão total ou parcial, por exemplo. Será possível que o casal, observado o regime escolhido, tenha direito à herança do outro, além de outras questões mais cotidianas, que serão resolvidas de forma rápida: como inserir no plano de saúde, receber pensões e seguros de vida”, disse.

You might be interested:  Calendário De Pagamento De Benefícios 2022

Quais os direitos da união estável em caso de morte?

É possível fazer o reconhecimento da União Estável após o falecimento do cônjuge? Essa dúvida é muito comum aqui no escritório: — Eu e meu companheiro nunca reconhecemos nossa e, agora, ele faleceu. Como posso provar? Construímos uma vida juntos, temos filhos e bens adquiridos durante nossa união”.

Sim, é possível fazer o reconhecimento da União Estável após o falecimento de um dos parceiros, comprovando o relacionamento. Esse reconhecimento pode ser feito somente por meio de processo judicial, com apresentação de provas que demonstrem a existência da relação conjugal e a convivência duradoura dos companheiros, como por exemplo, a declaração de testemunhas, contas conjuntas, fotografias em redes sociais, etc.

O reconhecimento da União Estável após a morte é importante para fins de pois a pessoa reconhecida como companheira ou companheiro tem direito à parte da herança do falecido e também pode requerer benefícios previdenciários como a Pensão por Morte. É necessário provar que a união teve uma convivência duradoura, pública e contínua.

Um abraço para todos.Ana Brocanelo – Advogada.OAB/SP:176.438

: É possível fazer o reconhecimento da União Estável após o falecimento do cônjuge?

Qual é o estado civil de quem vive em união estável?

Já na União Estável, o Estado Civil não se altera e continua sendo ‘solteira’, ‘casada’, ‘viúva’, ‘separada’, etc.

Como fazer uma declaração de união estável de graça?

Após o tão esperado sim ao pedido de casamento, hora de pensar nos custos dessa união. No casamento civil, por exemplo, os valores podem variar de acordo com os impostos aplicados em cada município do país. Em São Paulo, um casamento no cartório varia entre R$ 388,74 e R$ 402,40.

  1. O casamento religioso, com efeito civil, pode custar R$ 404,90 – o mesmo valor é cobrado para a conversão de união estável em casamento.
  2. Para oficializar a união fora do cartório é preciso desembolsar algo em torno de R$ 1.341.
  3. O que poucos brasileiros sabem é que é possível casar de graça no Brasil.
  4. Registrar o enlace é um passo importante e garante os direitos, caso seja pedido o divórcio, futuramente.

Quem deseja casar e está com orçamento apertado pode requerer a gratuidade do casamento civil em qualquer cartório brasileiro, de acordo com o Artigo 1.512 do Código Civil. A Konkero ( www.konkero.com.br ), portal comparador de produtos financeiros e finanças pessoais do país, publicou orientações para que a população brasileira possa ter acesso a esse direito.

  1. O passo a passo da gratuidade O primeiro passo é assinar um documento chamado declaração de pobreza, que pode ser escrito em casa; em seguida, esse documento deve ser levado ao cartório onde deseja casar.
  2. O modelo de documento pode ser encontrado no portal da Konkero.
  3. Na sequência, é preciso ir ao cartório da região para dar entrada no processo de habilitação.

Além das declarações de pobreza do casal é necessário levar o RG original, certidão de nascimento de ambos e duas testemunhas. É nessa etapa que será agendada a data para a formalização da união. “Não há restrições. Qualquer um que precisar, honestamente, da anuência das taxas de cartório pode entregar o atestado de pobreza para ter um casamento gratuito.

Este é um benefício para todo e qualquer cidadão. A lei não define qual a renda mensal mínima ou máxima que dá direito ao atestado de pobreza. Então, se o dinheiro cobrado pelo cartório vai fazer muita falta no fim do mês, principalmente para pagar as contas básicas – como água, luz e alimentação –, o indivíduo pode assinar o documento e dar entrada no processo gratuito de habilitação do casamento civil”, explica o fundador do portal Konkero, Guilherme de Almeida Prado.

Em média é cobrado R$ 400 pelos trâmites legais burocráticos para oficializar a união no civil. Os valores variam de acordo com o Estado e podem sofrer acréscimo se houver a necessidade do deslocamento do juiz de paz para um outro local à escolha do casal.

Quanto tempo após a morar juntos a pessoa passa a ter direitos?

A União estável é uma forma de constituir família reconhecida por lei. Em síntese, uma relação mais prática, com menos formalidades na hora de oficializa-la, ou seja, sem o “rito” do compromisso público que é o casamento. De 2011 a 2015 o número de união estável aumentou 57% no Brasil, enquanto que o número de casamentos subiu apenas 10%.

  • Conforme Jornal Hoje – G1).
  • Prevista no art.1723 do Código Civil, ela se caracteriza como uma convivência pública e duradoura, que tem o objetivo de construir um âmbito familiar.
  • Para ter uma união estável não há necessidade que o casal resida na mesma habitação para que o vínculo seja configurado, assim, se os companheiros morarem em casas separadas, mas a relação for duradoura, contínua, pública e com o objetivo de constituir família, será união estável! Antes era exigido um prazo de 5 anos ou a existência de prole para se configurar uma união estável.

Contudo, atualmente este prazo deixou de existir, este ato é subjetivo e vai depender da forma que você apresenta a pessoa à sociedade e da vontade de se constituir família. No que pese fins previdenciários, a lei exige o prazo de dois anos para se obter os benefícios.

  • Referente as relações homoafetivas, a Lei, ao definir união estável, descrevia uma relação entre homem e mulher, entretanto, em 2011 o Supremo Tribunal Federal decidiu, e equiparou a união entre pessoas do mesmo sexo à união entre casais de sexos diferentes.
  • Ou seja, no Brasil desde 2011 há o reconhecimento da união estável homoafetiva como entidade família O regime de bens especifica as regras de partilha do patrimônio do casal, e é muito importante tanto na circunstância de casamento quanto de união estável.

Na existência da escritura da União Estável, ambas as partes são livres para declarar o regime de bens atribuído à relação. Por exemplo, não há nenhum problema em optar pela separação de bens na união estável, no entanto se esta for a decisão do casal, será preciso realizar um pacto antenupcial, algo que deveriam fazer no caso de um casamento, por composição legal e sob pena de nulidade.

Na falta desse documento específico, a partilha em caso de separação, deverá seguir o regime de comunhão parcial de bens, isto é, todos os bens adquiridos na constância da união estável, são divididos igualmente entre os companheiros, independentemente de quem foi o investimento maior ou total, em outras palavras, os bens adquiridos após a união estável são divididos igualmente entre os nubentes.

You might be interested:  Engenharia Florestal Salário

Agora eu lhe pergunto, como comprovar a união estável para ter direito aos bens e aos benefícios do INSS do parceiro? No caso de existir documento formal e/ou pacto antenupcial e existir bens e/ou filhos, ingressar-se-á com ação de dissolução de união estável; Não existindo escritura da União Estável, existindo bens e/ou filhos ingressar-se-á com ação de reconhecimento e dissolução de união estável.

Declaração de Imposto de Renda do segurado que tem o interessado como seu dependente; Disposições testamentárias; Carteira de Trabalho; Ficha ou Livro de Registro de Empregados; Certidão de nascimento, se o casal tiver filhos; Certidão de Casamento Religioso; Prova de encargos domésticos evidentes e existência de sociedade ou comunhão nos atos de vida civil; Procuração ou fiança outorgada; Conta bancária conjunta; Registro em associação de qualquer natureza, onde conste o interessado como dependente do segurado; Apólice de seguro na qual conste o segurado como instituidor do seguro e a pessoa interessada como sua beneficiária; Ficha de tratamento em instituição de assistência médica da qual conste o segurado como responsável; Escritura de compra e venda de imóvel pelo segurado em nome do dependente; Testemunhas;

Caso você não tenha essa documentação, você pode optar por outras documentações que provem a união. Sendo:

Comprovação da união através de perfis nas redes sociais que evidenciam a proximidade do casal e desde quando a união “supostamente” iniciou; Registros de vídeos e fotos em eventos sociais, reuniões, como casal; Dentre outras provas que serão analisadas pelo advogado previdenciário ao analisar o seu caso concreto.

Se o INSS não aceitar essas documentações, é possível ajuizar uma ação. Jusbrasil 05 de março de 2021

O que a Bíblia diz sobre união estável?

(Mateus 18:19). Observando o parágrafo anterior podemos concluir que se as Igrejas concordar em fazer o casamento somente religioso com base na União Estável, desde que seja feito entre um homem e uma mulher, que sejam crentes e nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, DUES aceitará nos Céus.

Como ficam os bens adquiridos antes da união estável em caso de morte?

Os direitos de quem vive em união estável nos casos de falecimento – O companheiro ou companheira que vivia em União Estável e que consiga comprovar essa condição (abaixo vamos explicar como comprovar), terá total direito de participar de todo o processo de inventário e assim garantir sua parte da herança.

Isso porque a união estável se equipara ao casamento em que prevalece a comunhão parcial dos bens. Ou seja, a pessoa que vive com o falecido terá direito de receber metade dos bens adquiridos durante todo o período do relacionamento. Por exemplo, caso a pessoa tenha convivido de 2010 a 2022 com a pessoa, nesse sentido será possível pleitear à metade de todos os bens adquiridos durante esses 12 anos de união.

Essa condição é garantida por lei. Contudo, caso o companheiro (a) falecido (a), deixou bens líquidos antes do início da união, você será considerada herdeira, ou seja, terá que partilhar os bens em igualdade aos filhos que a pessoa falecida deixou. Já quanto aos benefícios do INSS, caso a pessoa falecida fosse segurado da Previdência Social, a pessoa que vivia em união estável também pode garantir o direito à pensão por morte.

Como fazer uma declaração de união estável gratuita?

Após o tão esperado sim ao pedido de casamento, hora de pensar nos custos dessa união. No casamento civil, por exemplo, os valores podem variar de acordo com os impostos aplicados em cada município do país. Em São Paulo, um casamento no cartório varia entre R$ 388,74 e R$ 402,40.

O casamento religioso, com efeito civil, pode custar R$ 404,90 – o mesmo valor é cobrado para a conversão de união estável em casamento. Para oficializar a união fora do cartório é preciso desembolsar algo em torno de R$ 1.341. O que poucos brasileiros sabem é que é possível casar de graça no Brasil. Registrar o enlace é um passo importante e garante os direitos, caso seja pedido o divórcio, futuramente.

Quem deseja casar e está com orçamento apertado pode requerer a gratuidade do casamento civil em qualquer cartório brasileiro, de acordo com o Artigo 1.512 do Código Civil. A Konkero ( www.konkero.com.br ), portal comparador de produtos financeiros e finanças pessoais do país, publicou orientações para que a população brasileira possa ter acesso a esse direito.

O passo a passo da gratuidade O primeiro passo é assinar um documento chamado declaração de pobreza, que pode ser escrito em casa; em seguida, esse documento deve ser levado ao cartório onde deseja casar. O modelo de documento pode ser encontrado no portal da Konkero. Na sequência, é preciso ir ao cartório da região para dar entrada no processo de habilitação.

Além das declarações de pobreza do casal é necessário levar o RG original, certidão de nascimento de ambos e duas testemunhas. É nessa etapa que será agendada a data para a formalização da união. “Não há restrições. Qualquer um que precisar, honestamente, da anuência das taxas de cartório pode entregar o atestado de pobreza para ter um casamento gratuito.

  1. Este é um benefício para todo e qualquer cidadão.
  2. A lei não define qual a renda mensal mínima ou máxima que dá direito ao atestado de pobreza.
  3. Então, se o dinheiro cobrado pelo cartório vai fazer muita falta no fim do mês, principalmente para pagar as contas básicas – como água, luz e alimentação –, o indivíduo pode assinar o documento e dar entrada no processo gratuito de habilitação do casamento civil”, explica o fundador do portal Konkero, Guilherme de Almeida Prado.

Em média é cobrado R$ 400 pelos trâmites legais burocráticos para oficializar a união no civil. Os valores variam de acordo com o Estado e podem sofrer acréscimo se houver a necessidade do deslocamento do juiz de paz para um outro local à escolha do casal.

Qual o valor para autenticar um documento em cartório?

Esse termo é a prova da aposição da assinatura perante o agente dotado de fé pública. O preço é tabelado por lei em todos os cartórios deste Estado. Conforme a tabela de custas e emolumentos em vigor a partir de 06 de janeiro de 2023 o valor do Reconhecimento de Firma por Autenticidade é de R$ 20,40.

Qual o valor de uma declaração de união estável RJ?

Preços

Número Nome Serviço Valor Serviço
10 Materialização R$ 23,16
11 Apostilamento de Haia R$ 113,00
12 Certidão Simples e Comunicação de vendas – COMVEN R$ 38,75
13 Contrato de Namoro e União Estável completa R$ 634,66

O que fazer para casar no civil de graça?

Para que o casal obtenha a gratuidade ao casamento civil portanto, é necessário informar no cartório de registro civil onde o casamento será registrado o interesse na gratuidade, apresentando declaração de hipossuficiência, a popularmente conhecida ‘declaração de pobreza’.