O que a Espinheira-santa faz no estômago?

A Espinheira Santa auxilia no combate as dores de estômago, acidez estomacal, gastrites e ulceras, evitando a fermentação e formação de gases.

Quem não deve tomar espinheira santa?

Quais cuidados devo ter ao usar o Espinheira Santa EC? – Lactantes devem evitar o uso, pois pode ocorrer redução da secreção láctea (Santos C, et al, Plantas medicinais 1988). Evitar o uso em mulheres em tratamento de infertilidade ou com dificuldade de levar a gravidez até o fim (FAD.B), assim como, em pacientes com câncer estrógeno-dependente.

Pode tomar o chá de espinheira santa antes de dormir?

Formas de utilização – Existem basicamente duas maneiras de se fazer uso da espinheira santa. Sob a forma de chás, ou cápsulas. Falarei abaixo sobre as duas formas de consumo dessa benéfica planta. Chá de espinheira santa Para preparar o chá, deve-se utilizar as folhas secas de espinheira santa e água.

  • Cápsulas de espinheira santa
  • As cápsulas de espinheira santa geralmente precisam ser manipuladas em farmácias magistrais.
  • O responsável pela dosagem será seu médico de confiança.

Quanto tempo leva para fazer efeito o chá de espinheira santa?

Sua ação é rápida e ela pode ser consumida por volta de 15 a 30 minutos antes das refeições. Assim, seu estômago já estará protegido quando o alimento chegar nele!

You might be interested:  Benefícios Do Óleo De Rícino

É verdade que espinheira-santa cura gastrite?

A espinheira santa é uma planta medicinal reconhecida no tratamento de úlcera e gastrite e, desde 2007, o Sistema Único de Saúde (SUS) fornece medicamentos à base desta planta.

Quanto tempo a espinheira-santa cura gastrite?

A Maytenus ilicifolia Mart. ex Reissek, conhecida popularmente como espinheira santa, pode ser utilizada nas gastrites, dispepsias e no tratamento coadjuvante de úlceras pépticas. Atua como reguladora das funções estomacais e promove a proteção da mucosa gástrica 1,2,3,

  • Em revisão realizada sobre as propriedades farmacológicas da Maytenus ilicifolia Mart.
  • Ex Reissek, há relato de dois ensaios clínicos sobre a atividade da planta em pacientes com dispepsias e úlcera péptica.
  • Em uma das pesquisas, os pacientes que utilizaram liofilizados (ausência de água, e bactérias no extrato) de espinheira santa apresentaram melhora significativa da sintomatologia dispéptica global e dos sintomas de azia e gastralgia, comparado ao grupo placebo.

O segundo estudo investigou vinte pacientes portadores de úlcera péptica, os quais dez receberam tratamento com cápsulas diárias de liofilizado de espinheira santa e dez receberam placebo. Devido ao número de desistências e a cicatrização de úlceras também ter ocorrido no grupo placebo os resultados não foram estatisticamente relevantes.

Quanto tempo devo tomar espinheira-santa para o estômago?

Posologia: uma xícara do chá (200ml), 3 vezes ao dia (uma hora após as refeições e uma hora antes de deitar-se). Tempo de tratamento: em torno de 30 dias. Apresentação: embalagem contendo 22,5g de folhas secas rasuradas de Maytenus ilicifolila, fracionadas em doses unitárias de 1,5g.

Quem tem problema de pressão alta pode tomar chá de espinheira santa?

CARQUEJA – A planta com propriedades digestiva e antiácida não é recomendada a pacientes em uso de anti-hipertensivos (medicação para Hipertensão arterial sistêmica), sob risco de elevação do efeito do fármaco, necessitando de reajuste na dose.

You might be interested:  Conta Salário Bradesco

Quem tem problema de gastrite pode tomar espinheira santa?

Você já ouviu falar nessa plantinha? Com poderes medicinais valiosos, a espinheira-santa pode ser usada no tratamento das gastrites e úlceras pépticas. O nome botânico Maytenus ilicifolia facilita para encontrá-la em qualquer lugar de nosso país e, apesar de ser comum principalmente na região Sul, sua folha seca é amplamente comercializada, sendo usada na forma de chá.

O preparo é simples: basta cozinhar a folha por 10 minutinhos em fogo baixo e manter em repouso por mais cinco antes de coar e deixá-la pronta para consumo. O poder da espinheira-santa é tamanho que ela é capaz de diminuir a acidez do estômago de uma forma muito parecida aos medicamentos utilizados para esta finalidade.

Ela é responsável por aumentar o muco e os antioxidantes para proteger o órgão e ainda desinflama a região afetada pela doença, tendo ação imunomoduladora. Alguns estudos apontam que dificulta a permanência da bactéria Helicobacter pylori protegendo a nossa saúde e minimizando o risco de câncer de estômago.

  1. Na Argentina, tanto folhas quanto talos cozidos são acrescentados no mate ou chimarrão em casos de úlceras com sangramento.
  2. A planta ainda ganhou projeção na medicina brasileira em 1922 a partir das pesquisas pela Faculdade de Medicina do Paraná, que sua identificou a ação antiulcerogênica em um grupo de pacientes.

Pela sua eficácia, ela faz parte da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename) e pode ser distribuída gratuitamente em alguns serviços públicos de saúde desde que haja a compra pelo município e a prescrição. Mas é importante ressaltar que antes de usá-la para bens de saúde, é preciso procurar o médico para que ele faça o diagnóstico da doença e veja se realmente é uma gastrite.

  1. Já no tratamento, o nutricionista pode auxiliar e orientar as doses corretas para o seu caso e tempo de uso da planta.
  2. Vale lembrar ainda que a espinheira-santa é contraindicada na gravidez, lactação e para crianças, por ausência de estudos.
  3. O uso inadequado pode causar prejuízos à sua saúde.
  4. Não cometa este erro, evite a automedicação.
You might be interested:  Flores De Crochê Para Aplicação

O uso da planta inadequadamente pode causar cefaleia, sonolência, boca seca, náuseas, gosto estranho na boca, tremor e dor articular nas mãos, poliúria, cistite, diarreia ou constipação. Outra dica importante é não comprar a planta medicinal em qualquer lugar – é importante adquirir de empresas certificadas e que comercializem produtos de qualidade.

Observe na embalagem o nome botânico e a parte da planta, se é correspondente e se não está fungada. Referências bibliográficas: Alonso J. Tratado de fitofármaco e nutracêutico,1 ed. São Paulo: AC Farmacêutica; 2016. Tabach R, Duarte-Almeida JM, Carlini EA. Pharmacological and Toxicological Study of Maytenus ilicifolia Leaf Extract Part II — Clinical Study (Phase I).

Phytother. Res.2017. Published online in Wiley Online Library. DOI: 10.1002/ptr.5816. Jesus WMM, da Cunha, TN. Estudo das propriedades farmacológicas da espinheira santa (Maytenus ilicifolia Mart. ex Reissek) e de duas espécies adulterantes, Revista Saúde e Desenvolvimento.2012; 1: 20-46.