O que significa sonhar com o machado de Xangô?

O Orixá Xangô e seu machado são representações da justiça. O sonho com esse Orixá vem como um sinal de alerta para a necessidade de uma análise interna sobre o modo como você está analisando as tarefas na qual está inserido.

O que significa sonhar que está machucado?

Sonhar com ferida em você Uma ferida em você em seu sonho significa que o tempo de dor está no fim. Há muito tempo você busca a paz e a habilidade de superar feridas emocionais, e seus anjos querem que saiba que estão trabalhando para acabar com sua dor no coração.

O que significa sonhar que estou armada?

Sonhar com arma pode representar a nossa vontade de fazer e acontecer, impaciência e a força impulsiva, agressiva e impositiva que nos move. A arma é um símbolo yang, ou seja, da energia masculina, a qual é voltada para se impor, ir atrás, fecundar, gerar, criar.

O que segnifica sonhar com sangue?

Sonhar com sangue, em termos simbólicos, pode fazer com que você reflita sobre a forma com que está vivendo: com alegria e vivacidade ou tédio e desânimo? O sangue pode ser observado de diversas maneiras. Para a religião cristã, é associado à vida. Já a biologia retrata as funções vitais deste elemento.

  1. Como está vinculado ao calor, tanto vital quanto corporal, e enaltece a cor vermelha, o sangue faz referência ainda às paixões.
  2. Confira a seguir mais detalhes para lhe ajudar a entender melhor o que sonhou,
  3. O fato de o sangue circular por todo o corpo humano pode, no nível simbólico, indicar a importância do livre fluxo da energia vital,

Em outras palavras, da interação com os outros, da versatilidade para estabelecer contato com uma diversidade de pessoas e ambientes, o que traz mais energia e felicidade à vida. A história registra, por exemplo, o quanto os rituais antigos, como de cultos pagãos e de irmandades ocultistas, recorriam aos juramentos de sangue.

  1. Além, claro, daquela circunstância (a qual, antes dos tempos da aids, era comum entre casais apaixonados) de fazer um pequeno furo no dedo para a mistura do sangue de ambos ao colarem os dedos furados.
  2. É como se selassem a amizade ou o amor por meio desse pacto.
  3. Situações como estas retratam o caráter passional do simbolismo do sangue,

Por isso, sonhar com sangue pode ser tanto bom quanto ruim – depende muito das circunstâncias do sonho. Antes de ir para as possíveis interpretações e o que é sonhar com sangue, é importante fazer algumas reflexões.

O que significa o machado na umbanda?

Quem é Xangô – Segundo a lenda, Xangô era o rei de Òyó – região que hoje é a Nigéria – e possuía um caráter autoritário e violento, além de ser extremamente viril, atrevido, vaidoso e justiceiro. Conhecido por praticar uma justiça dura, justa e cega, como uma rocha – que aliás é outro elemento que o representa: a rocha.

A arma é um machado de duas lâminas que, quando os seus “filhos” (pessoas que dentro dos cultos da umbanda e candomblé incorporam o espírito de Xangô) estão em transe, carregam com as mãos. Os orixás são ancestrais divinizados pelo candomblé, religião trazida da África para o Brasil, durante o século XVI, pelo povo iorubá,Entre os vários orixás, além de Xangô, está Ogum, dono do ferro e do fogo, defensor da lei e da ordem, abre caminhos e vence as lutas, protegendo os mais fracos.Há Exu, senhor do princípio e da transformação, o guardião das aldeias e cidades, que, devido à intolerância religiosa, foi associado por alguns cristãos a Satanás, um ser maligno.Entretanto, essa associação não é coerente com as religiões de matriz africana, nas quais não existem figuras unicamente representantes do mal.

No Brasil, cada orixá foi associado a um santo da Igreja Católica, em uma prática que ficou conhecida por sincretismo religioso. Xangô é sincretizado como São Jerônimo, São João Batista e São Pedro, Sua cor é marrom e o dia é quarta-feira,

Qual o significado do machado na umbanda?

ouça este conteúdo readme

play_circle_outline pause_circle_outline graphic_eq_outline Cadastre-se e receba novos conteúdos: ok O símbolo do machado do orixá Xangô voltou a ser parte da identidade visual da Fundação Cultural Palmares (FCP), do Ministério da Cultura, e está na fachada da entidade desde quarta-feira (26).

  • O anúncio foi feito durante a posse do presidente da entidade, João Jorge Rodrigues, nesta quinta-feira (27), em Brasília.
  • A ferramenta com duas lâminas é o símbolo principal de Xangô, orixá da Justiça, cultuado na umbanda e no candomblé, religiões de matriz africana.
  • A arma representa o equilíbrio e a dualidade dos fatos.

Emocionado, João Jorge enfatizou que o machado de Xangô é considerado símbolo da Justiça por vários povos africanos: da África do Sul ao Egito, do Egito a Camarões, da Gâmbia ao Senegal.

O que significa sonhar com ferimento sangrando?

Sonhar que está perdendo sangue – A perda de sangue é sempre um problema na vida humana. Quando isso ocorre nos sonhos, é sinal de que alguma coisa, ou alguém, está sugando sua energia vital. Ou seja, você está perdendo algo importante. Geralmente, isso ocorre quando há pessoas tóxicas e/ou violentas próximas, que tentam tirar proveito dos indivíduos.

O que é sonhar com uma pessoa machucada sangrando?

Se você sonha que outra pessoa está sangrando, ainda mais se for alguém próximo, significa que suas ações podem estar magoando-a.

You might be interested:  Sonhar Que Tira Carrapato De Cachorro

O que significa sonhar com o pé machucado?

Sonhar com pés machucados – Pés machucados, feridos, podem falar de feridas emocionais mais profundas e antigas que se deram no início da formação da personalidade, e a necessidade de observar se tais traumas não estão influenciando mais a vida do sonhador, nesse momento.

Qual é o significado do machado na Bíblia?

usado na versão autorizada do Deut.19:5; 20:19; 1Reis 6: 7, como a tradução de uma palavra hebraica que significa “cortar”. Foi usado para derrubar árvores ( Isaías 10: 34) e cortar madeira para construção. É a tradução de uma palavra diferente no Judg.9:48, 1 Sam.13:20, 21, pess.74:5, que se refere à sua nitidez.

  • Em 2Reis 6: 5 é a tradução de uma palavra usada com referência a ser feita de ferro.
  • Em Isa.44:12 a Versão Revisada processa por “machado” o hebraico _maatsad_, que significa um instrumento “hewing”.
  • Na versão autorizada, é processado “pinças”.
  • Também é usado em Jer.10:3 e processado “machado”.
  • O “machado de batalha” (exército de medos e persas) mencionado em Jer.51:20 foi provavelmente, como observado na margem da Versão Revisada, um “maul” ou maça pesada.

Em Ps.74:6 a palavra assim traduzida significa “feller”. (Veja a expressão figurativa em Mateus 3: 10; Lucas 3: 9). Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Axe)

Qual orixá tem machado?

Xangô. Xangô: guerreiro orixá Conhecido como o rei de Oyó, Xangô é um poderoso orixá que tem o controle sobre os raios e trovões, e que também expele fogo pela boca. Quando fora rei, segundo a lenda, Xangô não poupava esforço para conquistar outros territórios para o seu poderoso reino.

  1. Apesar de ser guerreiro e muito violento, fazia questão de tratar com justiça todas as questões que apareciam entre os seus súditos.
  2. Certa vez, interessado em buscar novas armas de conquista, o rei Xangô pediu para que sua esposa, Iansã, trouxesse uma poção mágica do reino dos baribas.
  3. No caminho de volta para casa, ela não resistiu à própria curiosidade e experimentou o líquido poderoso que carregava na cabaça.

Sentido um gosto terrível na boca, cuspiu a poção. Entretanto, ao invés de expelir o líquido, ela soltou uma grande labareda. Ao saber da novidade, Xangô ficou empolgado e vaidoso com a nova arma. Em pouco tempo, decidiu exercitar os poderes daquele fantástico encantamento.

  1. Enquanto Xangô utilizava a poção, o povo morria de medo dos enormes estrondos e do brilho causado pelas chamas.
  2. O barulho produzido pela incrível arma ficou conhecido como trovão.
  3. Em contrapartida, o brilho das chamas ganhou o nome de raio.
  4. Não pare agora.
  5. Tem mais depois da publicidade 😉 Em mais um dia que testava o poder do fogo, Xangô acabou provocando um enorme incêndio que destruiu toda a cidade de Oyó.

Mesmo não tendo a intenção, os sacerdotes resolveram retirá-lo do governo e obrigá-lo a se suicidar na floresta. Após cumprir a pena, ninguém encontrou os restos mortais do antigo rei. Naquele instante, vários boatos sugeriram que os deuses teriam transformado Xangô em orixá.

  1. Com o passar do tempo, toda vez que os trovões e relâmpagos tomavam os céus, o povo de Oyó lembrava que seu rei continuava vivo.
  2. Nos vários rituais afro-brasileiros, Xangô aparece com um machado de duas faces por causa de sua inclinação guerreira.
  3. Paralelamente, o domínio dos raios e trovões também se associou a essa prestigiada divindade africana.

No Brasil, observamos que vários santos católicos estão diretamente associados ao culto a Xangô. São Jerônimo, usualmente se aproxima de Xangô por estar próximo ao leão, um animal que reafirma a condição de realeza para os africanos. Também podemos assinalar a celebração a Xangô no dia de São Pedro, considerado um guardião dos céus, equivalente ao orixá.

Quem usa machado no Candomblé?

Fundação Cultural Palmares volta a ter machado de Xangô na marca O símbolo do machado do orixá Xangô voltou a ser parte da identidade visual da Fundação Cultural Palmares (FCP), do Ministério da Cultura, e desde quarta-feira (26). O anúncio foi feito durante a posse do presidente da entidade, João Jorge Rodrigues, nesta quinta-feira (27), em Brasília. A ferramenta com duas lâminas é o símbolo principal de Xangô, orixá da Justiça, cultuado na umbanda e no candomblé, religiões de matriz africana. A arma representa o equilíbrio e a dualidade dos fatos. Emocionado, João Jorge enfatizou que o machado de Xangô é considerado símbolo da Justiça por vários povos africanos: da África do Sul ao Egito, do Egito a Camarões, da Gâmbia ao Senegal.

O machado foi retirado da logomarca da Fundação Cultural Palmares, em dezembro de 2021 pelo então presidente da entidade, Sérgio Camargo. No lugar da ferramenta, foi colocada uma figura no formato da bandeira do Brasil, em verde e amarelo. À época, o site da Palmares justificou que era uma forma de representar todo o povo brasileiro, “sem distinção de classe, credo ou cor”.

Na ocasião, movimentos negros consideraram o anúncio um forte ataque ao legado da Fundação Palmares. Na solenidade de posse, o novo presidente da fundação, João Jorge, lembrou que houve depredações e desrespeito ao órgão. “Quando cheguei a Brasília, encontrei as fotos dos ex-presidentes da Fundação Palmares jogadas em um depósito.

  • O quadro com a foto do ex-presidente Zulu Araújo estava quebrado, e tivemos que trazê-lo para outra sala.” João Jorge ressaltou que os funcionários resistiram à opressão, ao arbítrio, à perseguição moral e ao assédio na gestão passada.
  • Recentemente, um funcionário me entregou os tapetes com a marca de Xangô, que escondeu para não serem jogados fora”, revelou o novo presidente da fundação.

“Nós somos o canto deste país, o som dos tambores deste país, as águas deste país e demos a nossa civilização para esta nação”, disse o presidente da FCP, João Jorge Rodrigues. A ministra da Cultura, Margareth Menezes, que deu posse a João Jorge, disse que a nova presidência da Fundação Palmares é uma resposta ao que ocorreu na gestão passada.

É de um significado profundo e tem a ver com a justiça do dono do machado para que a amargura e a ignorância nunca mais se sentem no trono, nem sobre o legado das políticas públicas desenvolvidas pela Fundação Palmares.” “O movimento negro sonhou com uma sociedade menos desigual, onde o conceito de raça não fosse critério para desumanizar e escravizar homens e mulheres, e isso se projetou para o campo da cultura, na criação da Fundação Palmares”, ressaltou a ministra.

You might be interested:  Sonhar Que Esta Orando E Chorando

No fim da cerimônia, João Jorge Rodrigues adiantou que, como parte da retomada de suas atividades, a Fundação Cultural Palmares terá nova sede. “Haverá um novo lugar para pregar nossas insígnias, nossas coisas. Será lindo demais. Este é o futuro que chegou sem reclamação, olhando para a frente e com Xangô conosco”, afirmou.

Quem Iansã protege?

Quem é Santa Bárbara, conhecida como Iansã? No dia da orixá, saiba mais sobre a história dela e quem são os famosos devotos da santidade Santa Bárbara / Crédito: Divulgação Hoje é dia de Santa Bárbara ou, seguindo o sincretismo religioso, Dia de Iansã, a orixá Guerreira, senhora das almas, dos ventos, das tempestades, dos raios e relâmpagos. Iansã é um Orixá que teve seu culto nascido na Nigéria, mais especificamente nas margens do Rio Niger que chegou ao Brasil juntamente com os negros escravos.

  • Na juventude, Iansã viajou por muitos reinos e foi a paixão de muitos reis, entre eles Exu, Oxossi, Ogum, Logun-Edé.
  • O seu objetivo era aprender o máximo que pudesse sobre todos os reinos e conhecer melhor o universo.
  • Na umbanda, Iansã protege e livra os fiéis de todos os tipos de ataques, sejam de origem física, espiritual ou mental.

Com uma história tão inspiradora, a Santa/Orixá tem os seus devotos no Brasil, entre eles Maria Bethânia. A cantora possui até mesmo uma música dedicada à Iansã, chamada ‘Senhora do Raio e do Vento’. Mas Bethânia não é a única. Na lista, Camila Pitante e Regina Casé, que usou o Instagram para comemorar esse dia.

Como saber qual o santo que me protege?

Como saber o santo protetor de cada pessoa pela data de nascimento? – Como descobrir meu Orixá de cabeça? – Para descobrir o seu Orixá de cabeça através da Numerologia dos Orixás, é preciso somar a data completa do seu aniversário. Se a sua data de nascimento é o dia 12/09/1991, esse número precisa ser somado por completo: 1+2+0+9+1+9+9+1=31.

Porque Xangô usa machado?

Xangô. Xangô: guerreiro orixá – Brasil Escola Conhecido como o rei de Oyó, Xangô é um poderoso orixá que tem o controle sobre os raios e trovões, e que também expele fogo pela boca. Quando fora rei, segundo a lenda, Xangô não poupava esforço para conquistar outros territórios para o seu poderoso reino.

  • Apesar de ser guerreiro e muito violento, fazia questão de tratar com justiça todas as questões que apareciam entre os seus súditos.
  • Certa vez, interessado em buscar novas armas de conquista, o rei Xangô pediu para que sua esposa, Iansã, trouxesse uma poção mágica do reino dos baribas.
  • No caminho de volta para casa, ela não resistiu à própria curiosidade e experimentou o líquido poderoso que carregava na cabaça.

Sentido um gosto terrível na boca, cuspiu a poção. Entretanto, ao invés de expelir o líquido, ela soltou uma grande labareda. Ao saber da novidade, Xangô ficou empolgado e vaidoso com a nova arma. Em pouco tempo, decidiu exercitar os poderes daquele fantástico encantamento.

  • Enquanto Xangô utilizava a poção, o povo morria de medo dos enormes estrondos e do brilho causado pelas chamas.
  • O barulho produzido pela incrível arma ficou conhecido como trovão.
  • Em contrapartida, o brilho das chamas ganhou o nome de raio.
  • Não pare agora.
  • Tem mais depois da publicidade 😉 Em mais um dia que testava o poder do fogo, Xangô acabou provocando um enorme incêndio que destruiu toda a cidade de Oyó.

Mesmo não tendo a intenção, os sacerdotes resolveram retirá-lo do governo e obrigá-lo a se suicidar na floresta. Após cumprir a pena, ninguém encontrou os restos mortais do antigo rei. Naquele instante, vários boatos sugeriram que os deuses teriam transformado Xangô em orixá.

Com o passar do tempo, toda vez que os trovões e relâmpagos tomavam os céus, o povo de Oyó lembrava que seu rei continuava vivo. Nos vários rituais afro-brasileiros, Xangô aparece com um machado de duas faces por causa de sua inclinação guerreira. Paralelamente, o domínio dos raios e trovões também se associou a essa prestigiada divindade africana.

No Brasil, observamos que vários santos católicos estão diretamente associados ao culto a Xangô. São Jerônimo, usualmente se aproxima de Xangô por estar próximo ao leão, um animal que reafirma a condição de realeza para os africanos. Também podemos assinalar a celebração a Xangô no dia de São Pedro, considerado um guardião dos céus, equivalente ao orixá.

O que significa Xangô na Bíblia?

Xangô é o Senhor da Justiça e o Orixá da Lei. Rege os domínios do fogo, raios e lavas de vulcão.

Quando Xangô aparece?

Conheça mais sobre o Orixá e o santo São Jerônimo. – Xangô é o deus do trovão, sua majestade se confunde com sua importância para os filhos-de-santo, tão verdadeiro este fato que em alguns lugares no Brasil, como em Pernambuco, por exemplo, diversos cultos atendem pelo nome de Xangô.

Na Bahia, forte reduto da prática do Candomblé, os terreiros mais importantes e antigos têm Xangô como Orixá principal de suas casas, a Casa Branca do Engenho Velho, a primeira casa de Candomblé da Bahia provavelmente teria sido fundada pela Ia Nassô trazida de Oyó como escrava logo após seu reino ser dizimado pelos árabes.

Da Casa Branca surgiram os terreiros Ilé Yaomi Axé Yamassê (chamado também de Terreiro do Cantuá ou Gantois, bastante conhecido através de Mãe Menininha) e também o Ilê Axé Opô Afonjá de Mãe Aninha e Mãe Senhora, hoje dirigido por Mãe Stella de Oxóssi, Todos colocando o Orixá sincretizado com São Jerônimo em grande destaque dentro de sua liturgia.

  • Xangô é o fogo, o raio, o trovão, seu axé está nas pedreiras, nas rochas que não se consegue quebrar a não ser pelo seu próprio raio, tão duras e fortes que são a exemplo do próprio Orixá.
  • Sua área de maior atuação é a justiça, assim como seu símbolo principal é o “Oxé”, um machado de duas lâminas, pois não se faz justiça sem que se atente para os dois lados de cada situação.
You might be interested:  O Que Significa Sonhar Com Zumbi

Além disso, Xangô representa a liderança, a autoridade, e sem dúvida o erotismo no seu melhor sentido e tradução. Foi casado com três divindades: Obá, Oxum e Oiá, esta última guerreira teria reinado ao seu lado até o fim de sua jornada antes de se tornar Orixá. 30 de setembro é o dia do padroeiro das secretárias, o santo católico São Jerônimo, conhecido como santo das letras pela sua grande contribuição como tradutor da bíblia para o latim. O Fato curioso é que São Jerônimo passou a ser comemorado com destaque em outra religião, a brasileira Umbanda, que assim como as demais de matriz africana, coloca o santo como um dos principais de sua teogonia, identificando-o como Xangô, o orixá da justiça.

  1. Isso acontece por causa do fenômeno do sincretismo religioso, que une santos com orixás em uma única divindade.
  2. Isso foi herança de nossos antepassados africanos, que proibidos de cultuar seus próprios santos, os Orixás, estes negros escravos identificavam nos santos católicos as características que julgavam parecidas com suas divindades, podendo dessa forma cultuá-los sem represálias por parte dos seus senhores, e São Jerônimo foi sincretizado então, com um dos maiores e mais importantes Orixás do panteão africano, Xangô, o Rei da cidade estado de Oyó, na África.

A FESTA Grandes manifestações religiosas e festejos em sua homenagem acontecem todo dia 30 de setembro na Umbanda, como, por exemplo, a tradicional vigília do Barracão de Pai José, que todo ano começa na sexta-feira e só acaba na noite do dia seguinte, na grande festa para a Divindade.

  1. Esta vigília perdura 24 horas ininterruptas, onde entidades de todas as giras vêm em terra trazer seu axé ao andor que levará o Orixá, nesta madrugada se realizam oferendas, preces e demais rituais alusivos à divindade.
  2. Na verdade é uma forma de agradecer e renovar nossos pedidos por justiça, paz e saúde, para nós e para a comunidade, restabelecendo o vinculo sagrado com nosso Orixá Xangô, um dos patronos do Barracão.

O destaque da festa fica por conta da tradicional comida de santo, preparada pela Ialorixá Silmara e os belos enfeites que recepcionarão a chegada dos espíritos dos caboclos de Xangô, que acreditamos tratar-se dos mensageiros do Orixá e que incorporam nos médiuns para trazer esta mensagem. 30 de setembro é a data de seu falecimento no ano de 420. Mesmo entre os adeptos da própria igreja cristã, poucos conhecem São Jerônimo, que nasceu na cidade de Estrido, Dalmácia, (atualmente faz fronteira com a Iugoslávia) e estudou em Roma, gramática, filosofia, retórica, e demais ciências direcionadas a melhor conhecer o homem, a humanidade.

Mas São Jerônimo ficou conhecido mesmo por um feito histórico: a pedido do Papa Dâmaso, traduziu com precisão para o latim, o Antigo e Novo Testamentos, que com o nome de “Vulgata”, se tornou a Bíblia oficial do cristianismo. Por isso este santo é chamado o “Doutor Máximo das Escrituras”. Sua imagem sempre traz um livro em uma das mãos que representa a Bíblia e uma pedra noutra, com a qual se auto punia, investindo-a contra o próprio peito quando acreditava estar tendo pensamentos contrários aos ensinamentos de Deus.

“Quem ignora as escrituras, ignora a Cristo”. Este era seu lema e com alegria e prazer se empenhou para enriquecer a Igreja saindo de Roma como um monge penitente e estudioso, e assim continuou seus trabalhos escritos. Dados do culto ao Orixá “XANGÔ, o grande rei, Orixá da justiça, aquele que resolve impasses e lidera seu povo como ninguém, vaidoso, rico e elegante, absoluto nas montanhas e pedreiras, seus domínios naturais”.

  • Dia da semana: Quarta-feira Saudação: Caô Cabiecilê! Sincretismo: São Jerônimo – comemorado no dia 30 de setembro e também São João Batista (24.6) e São Pedro (29.6).
  • Cores: Na Umbanda, marrom, no Candomblé, vermelho e branco.
  • Símbolos: O oxé, machado de lâmina dupla feita em pedra e a pedra de raio.
  • Onde recebe oferendas: Nas montanhas e pedreiras.

Principais oferendas: Velas, charutos, cravos brancos e vermelhos, suas comidas e bebidas. Bebida: Cerveja preta. Elemento: Fogo. Algumas ervas: Folha de fumo, taboa, jatobá. Animais: Tartaruga Comida: Amalá, caruru (quiabo), bacalhau com quiabo, fruta do conde.

  • Domínio: A montanha, raio, trovão e pedreiras.
  • Particularidade: Trabalha principalmente com a justiça.
  • Características: Justiceiro, líder, calmo, egocêntrico, vaidoso, mandão.
  • Quizila: Morte e mortos (eguns).
  • ALGUNS ITÃS Oxum colocou uma condição para aceitar se casar com Xangô, disse que só seria sua esposa se Xangô carregasse seu Pai, Oxalá, que estava bem velho, pelo resto de sua vida e Xangô, apaixonado que estava pela doce Oxum, aceitou o trato.

Passado o casamento e as núpcias, Xangô teria que saldar sua dívida com Oxum, então Xangô desfez seu colar de contas vermelhas, que é sua cor, e refez o colar incluindo contas brancas, se dirigiu a Oxum e disse: – Minha promessa está cumprida, veja, as contas vermelhas são minhas, as brancas são de Oxalá, portanto, de agora em diante eu sempre vou estar carregando seu pai no meu pescoço.

_ Xangô a muito estava viajando com seu amigo Oxalufã. Como Oxalufã é muito velho, Xangô estava carregando o Orixá, ao passar pelas redondezas de Oyó resolveu subir em uma pedreira para mostrar ao velho amigo seu reino, e lá foi Xangô, até o topo da montanha com Oxalufã nas costas. Ao chegar no topo, enquanto apreciava seu reino, avistou sua esposa Oiá, fazendo seu amalá.

Estão aí duas coisas que Xangô não resiste, a mulher e o amalá, e se pôs a correr montanha abaixo esquecendo completamente que carregava Oxalufã. Este por sua vez caiu, se esborrachando na pedreira e Xangô nem percebeu, só foi se dar conta do erro que cometera depois de saciada suas necessidades.

Qual o número que representa Xangô?

Xangô é o Orixá do fogo, Senhor do trovão que rege a economia e a justiça. Para ter sua proteção, use às quartas-feiras roupas ou peças vermelhas e brancas e ofereça-lhe quiabo cortado em miúdos com mel de abelha. Seus números para sorte: 6 e 12.