O que significa sonhar com bastante mel de abelha?

Sonhar com mel de abelha geralmente representa recompensas do trabalho duro. Este sonho também pode significar que você vai colocar as coisas em seu lugar e produzir algo bonito e ordenado fora do caos. O significado de sonhar com mel de abelha também prevê seus sentimentos por alguém que é precioso e valioso.

  1. Você está cercado por amigos próximos em que pode confiar e que vão animá-lo quando estiver para baixo.
  2. Mas, por outro lado, este sonho simboliza a necessidade de ser mais honesto com os outros.
  3. Pare de ser tão tímido e de manter seus pensamentos para si mesmo, aprenda a dizer aos outros como se sente.

Como podemos ver, existem muitos significados para o seu sonho com mel de abelha, vejamos abaixo alguns cenários possíveis para seu sonho.

O que significa sonhar com colméia de mel?

No geral, as pessoas que se deparam com colmeia de abelhas devem se sentir agraciadas pelo amparo divino. Esse sonho é repleto de simbolismo ligados ao amor, ao afeto e aos sentimentos nobres. E você descobrirá o porquê ao longo deste artigo. As abelhas são criaturas fascinantes por 3 razões principais: • pela sua incrível ética no trabalho; • pelo mel e cera que produzem; • pela sua complexa e organizada estrutura social.

Mas há ainda outra razão: as abelhas são excelentes matemáticas. Diante de tantas qualidades, não é de se admirar que as abelhas e a colmeia, desde os tempos antigos, sempre foram mencionadas como símbolo dos deuses e da alma. No entanto, o mais interessante sobre as abelhas foi descoberto pela ciência moderna.

Os cientistas afirmaram que as abelhas sabem calcular ângulos e compreendem a curvatura da Terra. Tal como os seres humanos, as abelhas precisam de alimento e abrigo para sobreviverem. A colmeia não é apenas o lar das abelhas, mas também serve para guardar o mel.

  1. Como é fundamental para a sobrevivência, as abelhas têm que aperfeiçoar o desenho arquitetural da colmeia.
  2. E, por isso, os cientistas perceberam que existe um gênio matemático latente em todas as abelhas.
  3. Ao analisar os favos de mel, é fácil perceber que eles foram construídos a partir de células hexagonais fortemente compactadas e apertadas entre si.

Esse design, muito bem arquitetado pelas abelhas, tem como objetivo guardar a maior quantidade possível de mel com o menor consumo de cera. Sendo assim, o hexágono da colmeia é a forma perfeita para evitar desperdícios e, por isso, a colmeia carrega um simbolismo associado com a força e eficiência.

O que significa ganhar mel?

Além de ser conhecido por atrair o amor, o mel chama as energias positivas e, dessa forma, a prosperidade, a riqueza, o emprego e a saúde encontram o caminho aberto até sua vida.

Qual é o significado do mel na Bíblia?

Por Tati Bitencourt “Porem Jônatas não tinha ouvido quando seu pai conjurara o povo, e estendeu a ponta da vara que tinha na mão à boca, aclararam-se os seus olhos”. Cientistas dizem que desde o nascimento já temos preferência natural por coisas doces. Portanto, não é surpreendente descobrir que os alimentos doces têm desempenhado um papel na dieta humana desde o início da história.

  1. E a medida que a cultura humana avançava, a engenhosidade culinária acrescentava cada vez mais doces às dietas.
  2. A cana de açúcar, nossa principal fonte moderna de açúcar, não aparece na Bíblia (aparece a “cana perfumada” em Jeremias 6.20, que era uma planta perfumada e não a cana de açúcar).
  3. A cana de açúcar, provavelmente, chegou na Terra Santa por volta do primeiro século a.C., quando o historiador romano Strabo relata que “um junco na Índia produz mel sem ajuda de abelhas, do qual é feita uma bebida inebriante, embora a planta não dê frutos”.

Curiosamente em sua forma mais antiga, a cana de açúcar era usada como remédio e não como adoçante. A primeira evidência da produção de mel vem das montanhas do Cáucaso e do norte da Turquia, onde as aberturas nos troncos das árvores, onde se localizavam as colmeias selvagens, foram alargadas pelo trabalho humano para permitir um acesso mais fácil ao mel.

  • A primeira evidência de abelhas verdadeiramente domesticadas vem de um baixo-relevo egípcio datado de 2400 a.C.
  • Em um vaso de barro fabricado por volta de 1900 a.C., foram encontrados um pedaço de cera de abelha e a perna de uma abelha.
  • Os antigos gregos criaram colmeias artificiais já no século 7 antes de Cristo.

Visto que o mel doméstico não apareceu nas terras bíblicas até o período Helenístico, o mel bíblico foi apropriadamente descrito como “mel das rochas” (Dt 32.13) – mel que fluiu acidentalmente para fendas nas rochas ou arbustos, ou onde Jonatas o encontrou “no chão”.

Sansão comeu mel que encontrou de uma colmeia na carcaça de um leão (Jz 14.8-9). Mais tarde, ele usou esse incidente para provocar seus amigos com um enigma: “Do comedor, algo para comer; do forte, algo doce” (Jz 14.14). Quando Jonatas comeu o mel que encontrou, quebrou o juramento que seu pai Saul havia feito e que todo o exército deveria jejuar até que a batalha contra os filisteus fosse vencida.

Mas Jonatas se desculpou pelo comportamento descrevendo o rápido choque de energia com o “aclararam-se os olhos”, insinuando que todo o exército poderia ter usado para vencer a batalha (1Sm 14.25). No Novo Testamento, João Batista comeu mel durante suas viagens pelo deserto pregando.

  • O livro do Apocalipse também usa o mel no mesmo contexto das Escrituras Hebraicas – como o doce definitivo: “Peguei o pequeno pergaminho da mão do anjo e o provei, e na minha boca era doce como mel”.
  • Ap 10.9), um versículo que ecoa o Salmo 119.103: “Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doce do que o mel à minha boca”.

O poder de matar e de curar Nunca saberemos quem foi o primeiro infeliz guloso que provou que o mel das abelhas produzidos de algumas flores como o rododendro, pode ser venenoso. Quem consome desse mel sofre de fortes tonturas e fraqueza muscular que pode durar horas ou até levar a óbito.

  • No início do século 5 a.C., milhares de soldados liderados pelo guerreiro grego Xenofonte adoeceram por consumir mel envenenado.
  • Os soldados de Pompeu, conquistador romano da Terra Santa, encontraram misteriosos bolos perto do Mar Negro, infelizmente para eles, caíram na tentação e os devoraram avidamente.

Eles nunca chegaram ao campo de batalhas. Mas o mel também é um dos primeiros remédios da humanidade. Um papiro egípcio contém uma lista de 900 remédios para várias doenças. Mais da metade deles contém mel. Foi considerado particularmente útil no tratamento de doenças oculares, queimaduras e outras feridas.

  1. As mulheres egípcias antigas até o usavam como um purificador de ar, fazendo uma mistura de ervas, incenso e mel moldado em forma de bolas.
  2. Como diz Provérbios 25.16, o mel deve ser doce para a alma e saúde para os ossos.
  3. O que os antigos sabiam instintivamente foi comprovado sob o microscópico em nossa época: o mel é rico em minerais e aminoácidos contém uma enzima conhecida como glicose oxidase, que aumenta a quantidade de perióxido no corpo e destrói microorganismos nocivos.

O própolis, um material retirado de plantas e misturado com cera e pólen, que as abelhas usam para selar suas colmeias, tem as propriedades antibióticas mais fortes de qualquer elemento do mel e era usado para conservar frutas. O mel de abelha costumava ser exclusivo dos nobres e ricos, dos donos de terra, e era punido, até com morte, quem o extraísse. Na Bíblia Sagrada, o mel é mencionado 61 vezes e seu significado é frequentemente associado à prosperidade e abundância. “Uma terra que mana leite e mel”, versículo que aparece 40 vezes na Bíblia é, talvez, o versículo mais conhecido e usado para descrever a Terra Santa.

No entanto, o significado da palavra “mel” não é tão simples. A maioria dos comentaristas antigos conhecia várias frutas diferentes que, quando prensadas ou processadas, podiam produzir uma substância tão doce quanto o mel de abelha. Eles, portanto, viram “leite e mel” como descrevendo uma terra na qual há muito gado para produzir leite e árvores frutíferas maravilhosas.

O “mel” de Deuteronômio 8.8 provavelmente era mel de tâmaras. Uma exceção notável para atribuir “mel” às árvores frutíferas é Isaías 7.22. Ao observarmos os versículos que cercam a frase em questão, entendemos que esse profeta da destruição de Judá nas mãos da Babilônia, transformou a famosa imagem de forma impressionante, usando-a como uma destruição em vez de uma benção: “Naquele dia, um homem manterá viva uma novilha e duas cabras.

  1. Porque todas as colinas outrora lavradas pela enxada, não mais passará por elas por medo das sarças e dos pinheiros; elas se tornarão lugares onde solta o gado e onde correm as ovelhas” (Is 7.22-25).
  2. O gado e as abelhas, podemos deduzir, só podem viver em espaços abertos e em florestas onde a agricultura não é praticada.
You might be interested:  O Que Significa Sonhar Que Está Voando Baixo

Os favos de mel eram consumidos crus, mas na época romana servia-se uma bolacha de mel, assim como outros tipos de bolo, cada um conhecido por um nome diferente. Geleias eram feitas com sementes de linhaça torradas ou sementes de papoula e servidas com mel e algumas flores silvestres foram servidas mergulhadas em mel.

  1. Doces feitos de mel, chamados dulcia, também eram preparados.
  2. O mel também era um componente importante nos molhos e carnes vegetais.
  3. O hidromel era uma bebida preparada na época romana pela fermentação do mel.
  4. Os muitos abastados desfrutavam de uma espécie de sorvete feito com mel e neve, e serviam se sucos de frutas enriquecidos com mel.

Como em nossos tempos, a sobremesa era servida no final da refeição, nas refeições mais formais, que os gregos chamavam de simpósios, esse curso era acompanhado de vinho. É provável que os doces naturais servissem como o tipo de sobremesa mais simples nas casas mais ricas, com um confeiteiro especial contratado.

Tati Bitencourt é membro da Sexta Igreja Presbiteriana de Uberlândia. Dentista, técnica em design de interiores, real food lover e comentarista do podcast Sabores & Saberes das rádios Pense Bem e Teomídia.

Saiba mais » De Quem é a Terra Santa? » Assim na Terra como no Céu » A sabedoria grita nas ruas – quem vai ouvir? » Festas bíblicas: sabores e saberes » Minha mesa tem nome » Encontrar Deus na cozinha O QUE ESPERAM OS CRISTÃOS? | REVISTA ULTIMATO A esperança cristã possibilita alegria hoje, guia os nossos afetos e o modo como vivemos, nos relembra da nossa condição de peregrinos, nos anima na evangelização e na missão, nos dá a perspectiva correta com relação ao sofrimento atual, alinha os nossos planos aos de Deus, não permite que nos acomodemos às facilidades do mundo.

Qual a simbologia do mel?

Uma história que quase todo mundo conhece é a da visita dos reis magos a Maria, José e o menino Jesus, levando ouro, incenso e mirra. Antes de abandonar esta leitura porque ela sugere um caráter doutrinário ou religioso, convido a refletir sobre o valor simbólico dos presentes dados à sagrada família pelos magos viajantes, sem nem sequer esbarrar em religião.

  1. Ao aceitar o meu convite, você vai continuar lendo o texto, claro! Mesmo que você não saiba, como eu não sabia, o que é mirra* e pra que ela serve, pare um instante e pense no significado embutido no ato de presentear com ouro, por exemplo.
  2. Por tradição, quando nasce uma criança, os avós ou padrinhos, ainda hoje, de acordo com suas posses, presenteiam simbolicamente o recém-nascido com uma pecinha de ouro, que é para ser guardada.

Quando o bebê crescer um pouco saberá que história está simbolizada naquele presente guardado. Os pais vão contar à criança quem foi que lhe deu aquela joia e será lembrado o momento em que ela foi recebida, criando laços simbólicos entre os envolvidos. Foto: revista Mensagem Doce Um metal precioso, além de ter valor financeiro que o caracteriza como bem material importante, carrega uma certa ostentação de nobreza ou realeza e o ouro, entre os metais, é um dos mais resistentes e longevos, uma vez que ultrapassa gerações e se mantém intacto, o que o fez, historicamente, lastro de valor acumulado pelas nações de todo o planeta.

  1. Toda essa história para sugerir o mel como presente.
  2. Não apenas material, caracterizado somente como produto ou ingrediente fisicamente, mas também cheio de simbologias, as quais me atrevo a esboçar enquanto recomendo mel e seus aparentados (própolis, geleia real, além de produções culinárias e gastronômicas como bolos, doces e outros mais) como um bem a ser ofertado ou recebido.

Um vidro de mel, mesmo quando é caro, no seu bolso, vai custar menos que uma “lembrancinha” de boa qualidade que é a que, de forma geral, buscamos para presentear pessoas queridas. Mas, não é interessante pensar que, ao dar um pote de mel de presente, o regalo leva consigo uma dádiva de sabor doce com inúmeras possibilidades de usos que vão do curativo medicinal ao gastronômico? Amarelo ou âmbar, assim como o ouro, o mel tornou-se sinônimo de uma cor, que remete a valores positivos de doçura e aconchego.

Note que as embalagens de mel são, em sua maioria, transparentes, sejam elas de vidro ou plástico, e sempre prezam por deixar à mostra a cor do que contém. Deixe um pouco de lado a ideia de pureza cristalina que se tem com a transparência do líquido viscoso e pense em como a cor de mel lhe dá a uma boa sensação, mesmo se um pouco turva.

Encanta-me também pensar no mel como resultado do trabalho de uma sociedade feminina organizada na qual a produção se dá por meio de trabalho coletivo, de abelhas operárias que labutam numa hierarquia em que existe uma abelha rainha. Uma sociedade feminina A mim, que sou mulher, soa mais justa, responsável e igualitária, menos competitiva e predadora.

  1. Isso sem contar na generosidade de quem produz.
  2. Uma produção que será consumida por outra espécie animal, que não serve somente para o próprio sustento das abelhas.
  3. Ah! E que, tampouco, é cobrada monetariamente de quem a consome.
  4. Se, numa árvore do seu quintal, surgir um enxame de abelhas e ali for produzido mel, as abelhas não cobrarão um único centavo pelo produto que virá da extração.

Seja qual for a qualidade do mel retirado dali, as operárias não estabelecem preço a ser pago por sua produção. Diante de tanta simbologia, os meles em suas diversas versões passam a figurar entre as opções de presente mais deliciosas tanto de dar, quanto de receber.

  1. Para quem, quando e em que formato vai depender de cada oportunidade.
  2. Seja para amigos ou parentes, de perto ou de longe, para gente que a gente convive no trabalho, na vizinhança, na comunidade ou na escola; pode ser em virtude de uma data comemorativa, como agradecimento ou numa visita de cortesia; talvez, apenas você tenha tido vontade de preparar aquela receita de pão de mel que tanto ama ou, quem sabe, passou em frente à vitrine de um empório e foi arrebatado por sentimentos da infância ao notar aquela tripa de saquinhos de mel ao lado de um queijo da canastra; sempre há um bom motivo, sempre há um significado para presentear com mel.

Para os amantes da culinária e da gastronomia, um pote de mel é um “infinito particular” de possibilidades. Para comer puro, com queijo, no pão, para usar no preparo de doces, nas receitas de saladas, nos assados, nas finalizações dando o brilho que o prato de chef precisa, tudo é motivo para querer ganhar um pote, um saco, um litro ou um balde de mel.

Como usar o mel para atrair dinheiro?

Para chamar dinheiro na casa Encha um vaso com água e misture uma colher (sopa) de noz-moscada e uma de mel. No mesmo vaso, coloque três ramos de rosas-amarelas e três ramos de girassóis. Então o deixe em algum lugar da casa ou do seu trabalho.

You might be interested:  O Que Significa Sonhar Com Temporal

O que o mel representa na Umbanda?

Chamado de Èjè òdòdó (sangue das flores), o mel simboliza o amor, a doçura e a tranquilidade. É oferecido nos momentos em que a paz é necessária principalmente em situações sentimentais e familiares.

Onde fala sobre mel na Bíblia?

Este versículo em outras versões da Bíblia 24 Palavras suaves são como favos de mel, doçura para a alma e saúde para o corpo.24 Favo de mel são as palavras suaves: doces para a alma e saúde para os ossos.

O que nome mel significa?

Mel: Significa ‘mel’, ‘doce como mel’, ‘escura’, ‘negra’, ‘líder’, ‘rei iluminado’.

Qual a entidade que gosta de mel?

Oxum – a bela Senhora do Mel.

Qual é o objetivo do mel?

Mel: 7 benefícios, propriedades e opções para consumir Especialista consultado Nutrição CRN 32841/SP Nutrição clínica com ênfase na área de sobrepeso e obesidade.Avaliação antropométrica e planejamento alimentar individua. i Escrito por Redação MinhaVida Redatora especializada na cobertura de temas sobre alimentação e universo fitness. O mel é um produto natural obtido a partir do néctar das flores e de excreções da abelha. Além de ser um ótimo adoçante natural, este alimento é cheio de benefícios porque conta com ação antimicrobiana, capaz de impedir o crescimento ou destruir micro-organismos e assim proteger contra doenças.

O alimento também conta com ação antioxidante e prebiótica, o que quer dizer que atua no equilíbrio da microbiana intestinal, estimulando o crescimento e/ou atividade de micro-organismos benéficos. Por ser rico em carboidratos e açúcar, ele é ótima fonte de energia. O mel de abelha também conta com potássio, magnésio, sódio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, cobalto, cobre e alguns outros minerais.

Entre estes nutrientes, o potássio é o que está mais presente e é interessante para o equilíbrio da pressão arterial. O sabor, aroma e cor do alimento irão variar de acordo com as floradas, definidas a partir do tipo de flor que a abelha coleta o néctar para produzir este doce.

Alguns benefícios podem ser mais fortes em determinados tipos do que em outros. Confira os principais tipos consumidos no Brasil: Mel silvestre: Este é o mais ingerido no Brasil e é proveniente de diversas flores. É considerado interessante para a pele, vias respiratórias, tem efeito antioxidante e propriedades calmantes.

Mel de assa-peixe: Possui aroma e sabor agradáveis e possui efeito calmante e expectorante. Mel de flor de eucalipto: Possui um sabor mais forte e coloração escura. É interessante para o tratamento auxiliar e alivio de infecções intestinais, vias urinárias e doenças respiratórias.

  • Mel de flor de laranjeira: Conta com sabor suave e regula a função intestinal e tem efeito calmante.
  • Mel de cipó-uva: possui ação antioxidante, especialmente no fígado, por isso pode ajudar a diminuir os efeitos do álcool no corpo.
  • Entre as propriedades do mel, estão boas quantidades de açúcar e carboidratos e, por isso, ele é uma ótima fonte rápida de energia.

Ele também possui alguns ácidos orgânicos, sendo que um deles, o ácido glucônico, contribui para a formação do peróxido de hidrogênio, um poderoso antibactericida. O ferro e o cobre contribuem para a ação antimicrobiana. O ácido glucônico também tem forte ação antioxidante.

O alimento ainda conta com grande número de compostos que proporcionam este mesmo benefício. Os ácidos fenólicos, os flavonoides, certas enzimas, como a glicose oxidase, catalase e peroxidase, ácido ascórbico, hidroximetilfurfuraldeído e carotenoides. Todas as substâncias contribuem para combater os danos causados por agentes oxidantes, presentes nos alimentos e no corpo humano, e assim prevenir o envelhecimento e doenças como o Alzheimer, cardiovasculares, entre outras.

Ele conta com carboidratos não digeríveis e oligossacarídeos que são prebióticos. Isto significa que eles contribuem para a manutenção da microbiota intestinal e assim estimulam o trânsito intestinal, cooperam com a consistência normal das fezes, previnem diarreia e constipação.

Nutrientes Mel (25 gramas)
Calorias 77.25 kcal
Carboidratos 21 g
Cálcio 2.5 mg
Magnésio 1.5 mg
Ferro 0.075 mg
Potássio 24.75 mg
Fósforo 1 mg

Fonte: Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos / Taco – versão 2, UNICAMP Confira qual a porcentagem do Valor Diário* de alguns nutrientes que a porção recomendada, 25 gramas (uma colher de sopa), de mel carrega:

7% de carboidratos; 0,5% de ferro; 0,25% de cálcio.

Devido as suas propriedades, o mel é saudável e bom em diversos fatores para a saúde. Listamos, a seguir, sete benefícios do mel para você conhecer. Confira: Sua avó estava certa! Como o mel possui ação antimicrobiana, capaz de impedir o crescimento ou destruir micro-organismos, ele é interessante para aliviar a dor de garganta momentaneamente.

  • Mas é importante ressaltar que não há nenhum estudo científico comprovando que ele trate as causas desse sintoma, como uma faringite por exemplo, e nem a evolução da doença relacionada a uma dor de garganta.
  • As características deste adoçante natural que fazem com que ele tenha esta ação antibiótica são: o baixo ph, proporcionando um ambiente ácido que pode inibir o desenvolvimento de muitos micro-organismos, pouca quantidade de água, que não proporciona condições favoráveis para o crescimento das bactérias.

Além disso, o mel possui o ácido glucônico que contribui para a formação do peróxido de hidrogênio, um poderoso antibactericida. Pesquisas mostraram que bactérias causadoras de algumas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel. Entre esses micro-organismos estão a Haemophilus influenzae, responsável por infecções respiratória e sinusites, Mycobacterium tuberculosis, que leva a tuberculose, Klebsiella pneumoniae e Streptococcus pneumoniae, que causa a pneumonia.

Nesse caso, vale a mesma ressalva em relação à dor de garganta. O mel pode ajudar aliviando os sintomas e o desconforto, mas não promove a cura da doença em si. O tratamento dessas doenças, portanto, deve ser indicado por um especialista. Vale associar este alimento com o própolis, substância complexa coletada e transformada por abelhas e que possui flavonoides.

Os flavonoides apresentam propriedades antibactericida, sendo também um coadjuvante no camba à doenças do trato respiratório. O mel pode ser um importante aliado na manutenção da microbiota intestinal (conhecida como flora intestinal), que são bactérias benéficas que carregamos ali.

Contribuindo assim para um melhor trânsito intestinal, a consistência normal das fezes, prevenção de diarreia e constipação. Com a microbiota boa, quando a pessoa consumir fibras as bactérias do bem transformam as fibras em ácidos graxos de cadeia curta, que impedem que os micro-organismos ruins do intestino invadam a corrente sanguínea e se espalhem pelo nosso corpo, criando uma defesa indireta.

Todos estes benefícios ocorrem porque ele possui carboidratos não digeríveis e oligossacarídeos que são prebióticos, ou seja, contribuem para a manutenção da microbiota intestinal. Além disso, pesquisas mostraram que bactérias causadoras de algumas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel.

Entre esses microrganismos estão: Escherichia coli, causadora de diarreia e infecções urinárias e Salmonella species, que pode levar a diarreia. O mel é rico em antioxidantes, como ácidos fenólicos, os flavonoides e os carotenoides. Por isso, o alimento contribui para a diminuição dos radicais livres e assim previne o envelhecimento precoce e contribui para a pele mais bonita e saudável.

O produto pode ser ingerido ou utilizado em cosméticos como sabonetes e cremes. Ao ser passado na pele algumas pesquisas, entre elas uma da Universidade de Ouagadougou de Burkina Faso, observaram que ele pode agir como cicatrizante de feridas e em casos de úlceras, queimaduras e abscessos na pele.

Os micro-organismo staphylococcus aureus e salmonela typhimurium, ambos causadores de infecções em ferimentos, são sensíveis a ação antibacteriana do mel. Isto faz com que o mel ajude a diminuir os radicais livres e assim contribua para evitar o envelhecimento celular, proporcionando uma pele mais bonita e saudável e prevenindo doenças como o Alzheimer, cardiovasculares, entres outras.

As substâncias presentes no alimento que proporcionam este benefício são: ácido glucônico, os ácidos fenólicos, os flavonoides, certas enzimas, como a glicose oxidase, catalase e peroxidase, ácido ascórbico, hidroximetilfurfuraldeído e carotenoides. Alguns estudos apontaram que bactérias causadoras de certas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel.

Entre esses microrganismos estão a streptococcus faecalis, proteus species e pseudomonas aeruginosa, todas elas podem causar a infecção urinária. O mel estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar. O alimento é um carboidrato fonte de triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, que é o hormônio responsável por baixar os níveis de estresse do organismo, melhorando o bem-estar.

Ele também tem uma função importante como regenerador da microbiota intestinal, quando combinado aos lactobacilos presentes no intestino. Sabe-se que mais de 90% da serotonina é produzida no intestino, portanto o alimento ajuda a manter a integridade intestinal colaborando com uma melhor regulação neuro-endócrina, com mais serotonina e mais disposição e sensação de prazer.

You might be interested:  O Que Significa Sonhar Com Cimento

Essa é uma dúvida bastante comum. Em comparação com o açúcar refinado e o mascavo, o mel possui menos calorias (como veremos a seguir). Por isso, ele pode ser considerado um aliado no processo de emagrecimento se usado como substituto do açúcar em receitas. Porém, ainda assim, se consumido exageradamente, o mel pode engordar, além de poder elevar o nível de glicose no sangue.

Portanto, o segredo é utiliza-lo de forma equilibrada na alimentação.

Nutrientes Mel (25 gramas) Melado (25 gramas) Açúcar refinado (50 gramas) Açúcar mascavo (50 gramas)
Calorias 77.25 kcal 74 kcal 193.5 kcal 184.5 kcal
Carboidratos 21 g 19.15 g 49.75 g 47.25 g
Cálcio 2.5 mg 25.5 mg 2 mg 63.5 mg
Magnésio 1.5 mg 28.75 mg 0.5 mg 40 mg
Ferro 0.075 mg 1.35 mg 0.05 mg 4.15 mg
Potássio 24.75 mg 98.75 mg 3 mg 261 mg
Fósforo 1 mg 18.5 mg 0 mg 19 mg

Fonte: Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos / Taco – versão 2, UNICAMP.*Comparação baseada nas quantidades diárias recomendadas de cada alimento. Valores Diários de referência para adultos com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seu valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

  1. O mel é muito mais saudável para a alimentação do que o açúcar refinado.
  2. Enquanto o primeiro possui uma série de substâncias que proporcionam benefícios para o organismo, o segundo é somente fonte de “calorias vazias” já que é veículo de calorias, porém sem agregar nutrientes.
  3. Já o açúcar mascavo não passa pelo processo de refinamento e por isso preserva nutrientes em sua composição.

Ele conta com boas quantidades de ferro, importante para evitar a anemia, e potássio, nutriente que participa do processo de equilíbrio da pressão arterial. Além disso, o alimento possui magnésio, fósforo e cálcio. Porém, o alimento não possui as propriedades antioxidantes, antibacterianas e prebióticas do mel.

  1. O melado, que assim como o açúcar refinado e mascavo é derivado da cana de açúcar, é uma outra opção para adoçar, pois não passa pelo refinamento.
  2. Assim, ele possui boas quantidades de nutrientes semelhantes aos do mascavo, como o ferro e o potássio.
  3. Alguns estudos apontam que o melado é interessante para a prisão de ventre.

Contudo, ele também não possui as propriedades antioxidantes, antibacterianas e prebióticas do mel. O mel pode ser utilizado como uma substituição saudável ao açúcar refinado na preparação de bolos, tortas, biscoitos, entre outros doces. Também é interessante consumi-lo com torradas, frutas, iogurtes, sucos e até mesmo na receita de carnes.

  • Evite o aquecimento em excesso do mel, pois isto pode reduzir a acidez e a umidade do alimento e causar a perda na atividade de algumas enzimas, fazendo com que o alimento deixe de ter parte de suas propriedades benéficas.
  • A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) orienta aquecer o alimento até no máximo 70 graus Celsius.

Mel cristalizado: Por ser uma solução rica em açúcar, quando armazenado em temperaturas abaixo da média da colmeia, que é entre 34 e 35 graus, ele pode cristalizar. Dessa forma, deve ser mantido fora de refrigeração. Para que ele volte ao estado líquido sem perder as propriedades nutricionais, a orientação é colocar a quantidade a ser utilizada em um pote em banho-maria a 45 graus durante cinco minutos.

  • Deixe a água esfriar com o pote dentro.
  • É importante ficar atento para a procedência do mel.
  • Opte sempre pelo produto que tem as informações do fabricante e o selo do Serviço de Inspeção Federal (S.I.F).
  • O S.I.F pertence ao Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal que tem por objetivo normatizar e autorizar a produção e comercialização de todos os alimentos de origem animal no Brasil.

Mel com limão: Essa é uma combinação conhecida por ser usada para aliviar a tosse. De fato, a mistura é rica em vitaminas B e C, que podem fortalecer o sistema imunológico. Além disso, é rica em flavonoides, que possuem efeitos antioxidantes que combatem a ação dos radicais livres, reduzindo o processo inflamatório, podendo evitar e diminuir os efeitos da gripe.

Mel com cereais: O mel possui ação prebiótica que melhora a microbiota intestinal e os cereais, como aveia, são ricos em fibras. Com a microbiota boa, quando a pessoa consumir fibras as bactérias do bem transformam as fibras em ácidos graxos de cadeia curta, que impedem que os micro-organismos ruins do intestino invadam a corrente sanguínea e se espalhem pelo nosso corpo, criando uma defesa indireta.

Mel com leite: A combinação pode ser ótima para melhorar a qualidade do sono, principalmente para quem tem mais dificuldade de desligar o cérebro antes de dormir. A temperatura morna do leite é reconfortante, ajudando o corpo a relaxar. Além disso, o alimento é fonte de triptofano, aminoácido que melhora o bem-estar e prepara para o sono.

Já o mel, além de também ser fonte de triptofano, é uma fonte de carboidrato simples, que também ajuda no sono, pois facilita a absorção do triptofano. Mel com fruta: Por ambos serem fontes de carboidratos, trata-se de uma combinação recomendável para antes da prática de exercícios físicos. Isso porque o carboidrato é o principal nutriente que proverá a energia para a melhor execução da atividade e, basicamente, os carboidratos são encontrados em quantidade limitada como reserva na forma de glicogênio nos músculos e no fígado, assim como na glicose presente no sangue.

Afinal, quantas colheres de mel por dia podem ser consumidas? Esse valor pode variar entre uma colher de chá, cerca de 10 gramas, a uma colher de sopa, aproximadamente 25 gramas. É importante ressaltar que este alimento deve ser inserido em uma dieta saudável.

O mel não deve ser consumido por crianças menores de um ano. Isto porque o alimento pode ter C lostridium botulunum, bactéria causadora do botulismo. A doença pode causar problemas de saúde sérios como visão dupla e embaçada, fotofobia, tonturas, boca seca, constipação, comprometimento do sistema nervoso (dificuldades para engolir, falar, se mover) e comprometimento dos músculos respiratórios.

Esta quantidade de bactéria pode ser prejudicial para crianças com menos de um ano porque elas não possuem a microbiota completamente formada. Para os adultos saudáveis esta quantidade de Clostridium botulunum não é prejudicial. Além disso, ele não é recomendado para pessoas que possuem diabetes.

  • Isto porque este alimento rico em açúcar pode levar a picos de glicemia no organismo.Grávidas também devem ficar atentas a este alimento e procurar incluí-lo em uma dieta saudável, a fim de evitar o risco de diabetes gestacional.
  • Como o mel é muito calórico e rico em açúcar o consumo em excesso pode causar o ganho de peso.

Além disso, grandes quantidades de mel, assim como o açúcar, podem elevar os níveis de glicose no sangue rapidamente, fazendo com que os níveis de insulina aumentem e consequentemente a longo prazo isso pode levar a resistência à insulina que favorece o diabetes tipo 2.

Nutrólogo Roberto Navarro (CRM SP 78.392). Nutricionista Karina Valentim da PB Consultoria em Nutrição.

: Mel: 7 benefícios, propriedades e opções para consumir

Qual animal representa a fé?

O peixe era um sinal da fé cristão. Este símbolo foi utilizado pelos primeiros cristãos.

O que significa o nome de mel?

Significado do nome Mel Mel : Significa ” mel “, ” doce como mel “, ” escura “, ” negra “, ” líder “, ” rei iluminado “. Curto, delicado e com significados doces, o nome feminino Mel faz primeiramente referência direta à doçura do néctar produzido pelas abelhas, o mel.

Ele surge diretamente da palavra grega meli, que significa simplesmente “mel”. Por extensão, o nome também ganha o significado de “doce como mel”. O nome Mel também está estritamente relacionado com o nome, que significa “abelha”. Melissa era uma personagem da mitologia grega. Ela era uma ninfa que, de acordo com as histórias mitológicas, descobriu e ensinou o uso do mel.

O nome Mel também surge como um diminutivo ou apelido carinhoso para outros nomes que se iniciam com ele, como,, Melvin e, A partir da raiz destes nomes, Mel também carrega os significados de “escura”, “negra”, “líder” e “rei iluminado”.